JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Após reunião na FPF, clubes decidem não retomar os treinos e Paulistão continua sem data de volta

Entidade e representantes dos times combinam que atividades só serão retomadas quando tiverem aval das autoridades de saúde do Estado

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2020 | 17h51

O Campeonato Paulista continua sem data para ser retomado. Nesta segunda-feira, em reunião promovida pela FPF e que contou com a presença dos representantes dos clubes, ficou decidido que as atividades só vão ser retomadas quando tiverem o aval das autoridades de saúde estaduais e municipais.

O Paulistão foi paralisado após a conclusão da 10ª rodada da primeira fase, em 16 de março, em função da pandemia do coronavírus. Ainda faltavam duas jornadas para o encerramento da etapa classificatória às quartas de final. Na semana passada, porém, em encontro entre a CBF, membros das federações e do Ministério da Saúde colocaram em pauta a possibilidade de os campeonatos Estaduais serem retomados no dia 17.

Porém, já se imaginava que isso não ocorreria em São Paulo, o Estado com o maior número de casos de coronavírus no Brasil. E a reunião desta segunda-feira ratificou a postura de que o campeonato e os treinos só recomeçarão quando eles forem permitido pela Secretária Estadual de Saúde. Foi uma decisão diferente da adotada no Rio pela Ferj, que liberou a realização de treinos pelos próprios clubes - o governo do Estado e a Prefeitura do Rio, porém, vetaram essa possibilidade.

"A gente não vai dar um passo precipitado para ter um problema na frente, ainda mais com a pandemia evoluindo. A gente está resguardando os jogadores e todos no clube", disse José Carlos Peres, presidente do Santos, ao Estado.

"O futebol paulista, unido e consciente de seu papel perante à sociedade, afirma que apenas voltará às atividades quando as autoridades de saúde estadual e municipal permitirem, preservando a integridade de todos os envolvidos na organização das partidas", informou trecho de comunicado oficial divulgado após a reunião.

São Paulo está em isolamento social até o próximo domingo, por determinação do governador João Doria, que deve anunciar novas medidas nos próximos dias, especialmente sobre como e quando o Estado poderá deixar essa condição. Até por isso, embora o período de 30 dias de férias dos clubes tenha chegado ao fim, nenhum time retomou as atividades - nesta segunda-feira, o Palmeiras definiu que os jogadores vão continuar a trabalhar dentro de casa, porém vão seguir as instruções transmitidas ao vivo por um membro da comissão técnica do clube. 

Na reunião desta segunda, ficou determinado que a volta aos CTS também só ocorrerá de modo conjunto entre as equipes. "Esta coesão e o compromisso com a saúde pública também se refletem no retorno aos treinos. Em comum acordo, todos os clubes decidiram voltar aos treinamentos em conjunto, na mesma data, que será acordada assim que houver a autorização por parte das autoridades de saúde. O mesmo prazo será aplicado à equipe de arbitragem da FPF", informou o comunicado.

"A decisão de voltar conjuntamente foi importante para demonstrar união. É até uma questão de ética entre os participantes do campeonato", acrescentou o presidente do Santos.

Anteriormente, federação e clubes haviam definido que o Paulistão seria encerrado dentro de campo, sem alterações no regulamento de disputa, a não ser a liberação para inscrição de novos jogadores. Diante dos efeitos econômicos provocados pela pausa do campeonato, a federação também definiu que utilizará o dinheiro que seria investido na organização da festa de premiação do campeonato, agora oficialmente cancelada, e os R$ 120 mil de ajuda da CBF no "Protocolo de Retomada do Futebol".

"A FPF decidiu que não realizará em 2020 a tradicional Festa de Premiação dos Melhores do Campeonato. O valor que seria investido no evento será integralmente revertido para o custeio do Protocolo de Retomada do Futebol. O mesmo acontecerá em relação ao apoio financeiro recebido pela CBF, no valor de R$ 120 mil", disse a FPF.

A federação também destaca que um protocolo foi enviado para o governo estadual com os planos para retomada da competição. "A Federação Paulista de Futebol mantém contato constante com o Governo do Estado de São Paulo e enviou o Protocolo de Retomada do Futebol, produzido pela Comissão Médica da FPF, presidida pelo Prof. Dr. Moisés Cohen. O documento contém medidas preventivas e de controle para o término da competição tão logo as autoridades permitam", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.