Após reunião, João Vitor decide permanecer no Palmeiras

Volante nega que tenha pedido afastamento, mas acertou permanência no clube só após uma conversa com César Sampaio

Daniel Batista, Agência Estado

25 de setembro de 2012 | 18h54

O volante João Vitor negou nesta terça-feira as declarações dada à imprensa pelo presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, de que desejava deixar o clube por causa das ameaças da torcida à sua integridade física. Em entrevista ao site oficial, o jogador alviverde disse que não enfrentou o Figueirense, sábado, em Santa Catarina, porque está machucado.

"Fiquei chateado com alguns comentários dizendo que eu estava pedindo para não jogar, mas não tem nada disso. Eu nem teria o direito de fazer esse pedido. Disputei diversas partidas com dor, com o dedo fraturado. Nunca deixei de me colocar à disposição para jogar", disse João Vitor.

Em entrevista no fim de semana, Tirone disse que João Vitor pediu a César Sampaio (gerente de futebol) para ficar alguns dias fora, porque estava sendo ameaçado. A versão do volante e agora a oficial do clube, é que de João Vitor desfalcou o Palmeiras porque trata de uma fascite plantar (lesão na sola do pé) e de uma fratura no dedo mínimo do pé direito.

O jogador está realizando sua recuperação física na Academia de Futebol e ainda não tem previsão para voltar. Ele não está garantido no clube para 2013, mas promete se doar ao máximo até o fim do ano.

"Ainda não sei do meu futuro, mas o meu presente é o Palmeiras e vou me esforçar como sempre fiz para estar ao lado dos meus companheiros, ainda mais nesta hora difícil", afirmou o meio-campista. "Não fui para Itu com o resto do grupo na semana passada por recomendação do próprio clube, para que pudesse acelerar minha recuperação", acrescentou.

César Sampaio, que conversou com João Vitor na tarde desta terça-feira, confirmou que o jogador está com a cabeça totalmente voltada para a sua recuperação. "As cobranças têm atingido todos no clube. Ninguém está imune, inclusive eu. O João tem consciência do momento difícil, mas ele é profissional e ainda vai nos ajudar nesta reta final de temporada", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.