Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Após revelação de possível Superliga, Uefa garante ter o apoio dos clubes

Torneio reuniria 16 dos principais times da Europa; Real Madrid seria o idealizador da competição

Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2018 | 19h26

O Conselho de Estratégia do Futebol Profissional da Uefa (PFSC, na sigla em inglês) se reuniu nesta quarta-feira, em Nyon, e, entre outros assuntos, discutiu a suposta iniciativa de alguns clubes de elite do continente de criar uma Superliga continental. Após o encontro, a entidade garantiu o compromisso das equipes com as competições organizadas por ela.

"O conselho expressou por unanimidade seu desejo de fortalecer a já existente relação aberta e positiva com a Uefa. Todos os membros concordaram que tal unidade ajudará a garantir o crescimento e sustentabilidade do futebol em todos os níveis através do continente. Neste contexto, todas as partes ressaltaram seu compromisso em trabalhar junto para o desenvolvimento das competições de clube sob liderança da Uefa", afirmou a entidade.

No início do mês, revelações trazidas pelo projeto Football Leaks apontaram que alguns dos maiores clubes da Europa estariam avaliando a possibilidade de criar uma Superliga, liderada pelo Real Madrid e rompendo com a hierarquia do futebol mundial. Seria também o fim do monopólio da Fifa no controle do esporte.

Imediatamente, a própria Fifa se opôs a esta possibilidade e ameaçou até banir da Copa do Mundo jogadores de clubes que integrassem esta nova Superliga. Entidades como a FIFPro, o sindicato dos jogadores profissionais, e a Associação de Ligas Europeias também se posicionaram contra a iniciativa.

A competição envolvendo times do primeiro escalão do futebol europeu contaria com a presença de 16 times, entre os quais 11 fundadores do torneio: Bayern de Munique, Real Madrid, Barcelona, Juventus, Paris Saint-Germain, Milan, Manchester United, Manchester City, Chelsea, Liverpool e Arsenal. Já os outros cinco clubes convidados seriam os seguintes: Atlético de Madrid, Roma, Inter de Milão, Borussia Dortmund e Olympique de Marselha.

Presidente da Juventus e da Associação de Clubes Europeus (ECA, na sigla em inglês), que integra a PFSC, Andrea Agnelli deixou a reunião desta quarta sem dar entrevistas. Ele teria, no entanto, informado a Uefa que os times supostamente envolvidos na criação da Superliga sequer sabiam de tal iniciativa, que teria sido tomada apenas pelo Real Madrid.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.