Após revés, técnico do Real diz que time fez o possível

A fase do Real Madrid não é das melhores. Apesar de o time ainda estar brigando pelas primeiras posições no Campeonato Espanhol, e de ter garantido vaga nas oitavas-de-final da Liga dos Campeões, a equipe madrilenha vive uma forte crise. Neste sábado, o Real perdeu o clássico para o Barcelona por 2 a 0, e caiu para a quinta posição na liga nacional.Para o técnico Juande Ramos, que comandou o time apenas pela segunda vez após a demissão do alemão Bernd Schuster, sua equipe fez o possível para evitar a derrota. "Fizemos o possível. Tínhamos baixas importantes", justificou Ramos.O treinador não teve oito jogadores a sua disposição para o clássico. Além de Van Nistelrooy, Diarra e De la Red, que perderão o resto da temporada, o treinador também não pôde contar com Pepe, Heinze, Torres e os suspensos Marcelo e Robben. "Temos que esperar o segundo turno, quando aparece a Liga dos Campeões, para ver as equipem que descem e as que sobem", disse Ramos, já projetando 2009.Já pelos lados do Barcelona, o discurso é bem diferente. Com a vitória, o clube catalão abriu oito pontos na liderança do Espanhol, e tem 12 de vantagem para o arqui-rival Real Madrid. "Temos de fazer com que os jogadores mantenham os pés no chão. Não posso negar que 12 pontos seja uma boa diferença depois de 15 rodadas", disse o técnico do Barça, Josep Guardiola.Para o treinador, a vantagem do Barça na ponta da tabela fará com que muitos times atuem com "dez (jogadores) atrás" contra sua equipe. E apesar do mau momento do Real, Guardiola disse que o time ainda está na briga pelo título. "Se engana quem descarta o Real Madrid", afirmou. "E também há outros rivais a serem considerados na briga pelo campeonato, como o Villarreal, o Sevilla e o Atlético de Madrid."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.