Juan Ignacio Roncoroni/EFE
Juan Ignacio Roncoroni/EFE

Após saída de Cruyff, Equador acerta com Gustavo Alfaro para técnico da seleção

Ex-treinador do Boca Juniors tem 58 anos e assume com a missão de levar a equipe ao Mundial do Catar

Redação, Estadão Conteúdo

26 de agosto de 2020 | 14h36

O Equador tem um novo treinador para sua seleção. Nesta quarta-feira, a Federação Equatoriana de Futebol (FEF, na sigla em espanhol) anunciou em suas redes sociais e no site oficial a contratação do argentino Gustavo Alfaro, de 58 anos, para o cargo que estava vago desde julho.

"Gustavo Alfaro e sua equipe técnica estarão no comando da seleção nacional a partir de agora e serão nossos condutores durante as Eliminatórias Sul-Americanas, a Copa América de 2021 e, com sorte, a Copa do Mundo do Catar, em 2022", disse Francisco Egas, presidente da FEF, em entrevista coletiva por videoconferência nesta quarta-feira.

O treinador argentino chega para substituir o holandês Jordi Cruyff, filho do lendário Johan Cruyff, que não chegou a comandar um treinamento sequer com o time nacional por causa da paralisação do futebol com a pandemia do novo coronavírus. Ele havia assumido o comando da seleção equatoriana em janeiro passado, mas depois de declarada a presença da covid-19 no país sul-americano em 29 de fevereiro, retornou à Espanha e não voltou mais.

Alfaro viajará ao Equador no início de setembro para formalizar o acerto e iniciar o seu trabalho. "É um grande orgulho e prazer assumir esse desafio que a federação me oferece. Desde a primeira conversa uma vontade muito grande tomou conta de mim. Comandar uma seleção é uma ambição muito grande, um caminho muito árduo e difícil de percorrer", afirmou o argentino, que está em Buenos Aires, na entrevista por videoconferência.

O primeiro desafio de Alfaro no Equador será a partida de estreia pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2022 contra a Argentina, em outubro, em Buenos Aires. O local do jogo é bem conhecido pelo treinador: o estádio La Bombonera, do Boca Juniors, clube no qual trabalhou até o ano passado.

Esta será a segunda experiência de Alfaro fora da Argentina, pois em 2009 comandou por alguns meses o Al-Ahli, da Arábia Saudita. Em seu país já foi técnico do Atlético Rafaela, Patronato de Paraná, Quilmes, Belgrano de Córdoba, Olimpo de Bahía Blanca, San Lorenzo, Arsenal de Sarandí, Rosario Central, Tigre, Gimnasia y Esgrima La Plata, Huracán e Boca Juniors.

Em sua carreira obteve sete títulos. O mais importante deles é a Copa Sul-Americana de 2007 com o Arsenal de Sarandí. Conquistou também o Campeonato Argentino com o mesmo Arsenal (três vezes) e com o Boca Juniors (uma vez, em 2019).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.