Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Após saídas de titulares, Tite admite retrocesso do Corinthians em 2016

Técnico promete reconstruir elenco e aguarda a vinda de reforços

O Estado de S. Paulo

14 de janeiro de 2016 | 20h05

O técnico Tite, do Corinthians, falou pela primeira vez no ano nesta quinta-feira, nos Estados Unidos. Foi a oportunidade para o treinador expressar o descontentamento e lamentar a saída coletiva de titulares da equipe no ano passado, principalmente com destino para o futebol chinês, como Ralf, Jadson e Renato Augusto, fora Vágner Love, para o futebol francês.

O treinador bicampeão brasileiro reconheceu o enfraquecimento do elenco. "Retrocedemos. É inevitável. A direção não queria, eu não queria. Foi uma equipe de trabalho que acabou se desfazendo. Em uma escala, estava no topo. Retrocede e se reconstrói. O futebol brasileiro, pelo poder econômico, acaba gerando isso", lamentou o técnico durante evento na Flórida.

Tite considerou que o elenco ainda está em fase de montagem, já que outros reforços são planejados pela diretoria, como o meia Guilherme, ao mesmo tempo em que novas baixas são possíveis. O zagueiro Gil, por exemplo, continua na mira do Shandong Luneng, da China, enquanto o goleiro Cássio acaba de rejeita uma ida para o Besiktas, da Turquia. "Não vou ficar olhando para trás. Vamos lutar pela manutenção dos atletas que estão aqui", disse.

Ao admitir o retrocesso na força do time campeão brasileiro, o técnico brincou com o poderio do futebol chinês e garantiu que vai manter a coragem para continuar trabalhando na equipe. No próximo mês o Corinthians começa a disputa da Copa Libertadores, principal desafio do clube neste primeiro semestre.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansTite

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.