Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Após sair de maca no empate do Corinthians, Pedrinho será avaliado nesta sexta

Jogador não conseguiu precisar o lugar das dores quando deixou a partida: 'É meio no quadril, na costela, incomoda bastante para me locomover'

Gonçalo Junior, Estadão Conteúdo

23 de agosto de 2019 | 11h56

O meia Pedrinho será avaliado nesta sexta-feira para conhecer a gravidade do problema na região do quadril e da costela que o tirou do empate por 0 a 0 entre Corinthians e Fluminense, nesta quinta-feira, em São Paulo. O jogador de 21 anos deixou a partida das quartas de final da Copa Sul-Americana de maca e revelou que jogou com dores.

"Eu já estava sentindo. Não foi aquele lance que fez com que eu sentisse a contusão. Eu já estava sentido desde quando vim para o intervalo e voltei frio. Já estava me incomodando bastante, uma pancada que vem desde o último jogo. Tratei durante a semana, estava quente durante o primeiro tempo e não doeu tanto, mas depois começou a incomodar. É meio no quadril, na costela, incomoda bastante para me locomover", disse o meia após a partida na Arena Corinthians.

Pedrinho deve ficar fora da partida deste domingo diante do Avaí, em Florianópolis, pelo Campeonato Brasileiro. A tendência é que o técnico Fábio Carille utilize um time misto para poupar jogadores para o confronto da volta diante do Fluminense na próxima quinta-feira, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

O empate por 0 a 0 permite ao Corinthians se classificar às semifinais da Copa Sul-Americana com um empate com gols no Maracanã. Nova igualdade sem gols leva a decisão para os pênaltis.

Segundo Pedrinho, as dores foram a causa da atuação discreta e que pouco contribuiu para o time superar a defesa bem postada do Fluminense. Na partida anterior, diante do Botafogo, ele havia participado dos dois gols da equipe do Corinthians. "Estava incomodando bastante para mudar de direção, fazer minhas jogadas que sempre faço. Mas o time deles compactou bem atrás, isso dificultou para fazer jogadas, estava sempre com dois ou três preenchendo espaço", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.