Após ser banido, Partizan apela e joga partida da Copa da Uefa

Mesmo punido por quebra-quebra pela Uefa com suspensão de um ano, time sérivo recebe bósnios do Zrinjski

31 de julho de 2007 | 15h56

O Partizan de Belgrado receberá, nesta quarta-feira, o bósnio Zrinjski para a partida da volta do confronto entre as duas equipes válido pela fase preliminar da Copa da Uefa, mesmo após ser banido de competições européias por um ano pela própria Uefa na terça. O motivo da punição foi uma briga generalizada provocada pelos torcedores do clube sérvio no jogo de ida, em Mostar, na Bósnia.   "Após um pedido de recurso do Partizan, o presidente do Conselho de Apelações da Uefa garantiu um efeito suspensivo na medida disciplinar aplicada ao clube sérvio", afirmou a entidade européia em comunicado.   "A decisão significa que o Conselho de Apelações da Uefa pode examinar o caso, considerar as partes e dar um parecer final sobre o caso até o dia 16 de agosto, data marcada para a realização das partidas de ida da segunda rodada da fase preliminar da Copa da Uefa", completa a nota.   Após o incidente na cidade de Mostar, o Partizan foi banido por um ano de qualquer competição européia e multado em 50 mil francos suíços (cerca de R$ 78 mil).   A confusão   A pancadaria começou durante a partida - vencida pelo time visitante por 6 a 1 -, mas se proliferou pelas ruas de Mostar. O jogo teve de ser interrompido por pouco menos de meia hora, pois torcedores da equipe da casa atiravam pedras coquetéis molotov no campo.Muitos torcedores do Partizan usavam camisetas com imagens dos antigos líderes sérvios Radovan Karadzic e Ratko Mladic, condenados pela Justiça Internacional por genocídio e outros crimes de guerra após o fim dos conflitos que ocorreram nos Balcãs no começo da década de 90.   Durante a partida esses torcedores gritavam lemas de apoio aos ex-líderes, o que acirrou ainda mais os ânimos do público local, que partiu para cima em um quebra-quebra que tomou conta de toda a  cidade bósnia.   Algumas ruas de Mostar viraram verdadeiras zonas de guerra. O grande enfrentamento ocorreu na praça central da cidade, onde os torcedores de ambos os times, os moradores locais e a polícia foram protagonistas de uma batalha campal.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa da Uefa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.