Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Após ser vetado no Rosario, Allione espera jogar mais no Palmeiras

Meia esteve muito próximo de jogar no clube argentino

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2016 | 17h17

No começo do ano, Allione parecia fora dos planos do técnico Marcelo Oliveira. Chateado com a falta de oportunidades, abriu negociações com outros clubes, entre eles, o Rosario Central, que praticamente deixou tudo certo para levá-lo por empréstimo. Mas o fato do adversário argentino cair no mesmo grupo do Palmeiras fez com que o negócio fosse encerrado. Quis o destino que o meia entrasse na partida da última quinta-feira e fizesse o gol que assegurou a vitória por 2 a 0, no Allianz Parque.

“Realmente eu tinha proposta para ir jogar no Rosario, mas o Palmeiras disse que eu era importante e iria ficar. Falei que tudo bem e que iria trabalhar para buscar um lugar no time”, contou o argentino, que entrou no segundo tempo e no último minuto da partida fez o segundo gol palmeirense.

O fato de ter a oportunidade de retornar ao futebol de seu país era algo que animava Allione. No fim do ano passado, o jogador admitiu torcer por um acerto. “É difícil porque ainda tenho três anos de contrato com o Palmeiras, mas tudo é conversável. Tomara que dê certo com o Central”, disse o jogador, em entrevista à Rádio La Capital.

O argentino espera que o gol marcado faça com que ele ganhe mais confiança do técnico Marcelo Oliveira e consiga ter maiores oportunidades. “Lógico que o gol ajuda, porque a gente trabalha para ter mais espaço. Agora é continuar evoluindo para ter mais oportunidades”, projetou o jogador.

O gol, inclusive, pode ajudar o jogador a ser titular neste domingo, quando o Palmeiras enfrenta o Capivariano, às 16h, no Allianz Parque. A tendência é que a equipe seja mista ou formada apenas por reservas, já que na próxima quarta-feira o Alviverde volta a campo para encarar o Nacional-URU, pela Libertadores, novamente em casa.

 

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.