Reprodução/Facebook/goiasoficial
Reprodução/Facebook/goiasoficial

Após sofrer segunda goleada por 6 a 1, Claudinei Oliveira é demitido do Goiás

Queda de rendimento no Brasileiro após a pausa para a Copa América desagradou a diretoria da equipe

Redação, Estadão Conteúdo

04 de agosto de 2019 | 17h03

Perder por 6 a 1 é humilhante. Mas perder duas vezes por este placar em uma competição é demais. O Goiás já tinha apanhado do Flamengo, há três semanas, no Rio de Janeiro, desta forma e repetiu a dose contra o Santos, neste domingo, no estádio da Vila Belmiro, em Santos, pela 13.ª rodada do Campeonato Brasileiro. A queda do técnico Claudinei Oliveira era inevitável e foi confirmada pela direção do clube.

A diretoria até reconheceu que ele fez uma boa campanha antes da parada para a Copa América, ao ter deixado o time na parte de cima da tabela de classificação, mas a queda de rendimento da equipe desagradou. Em 12 jogos, o técnico somou 17 pontos. Foram duas derrotas e dois empates nas últimas 4 partidas. Claudinei Oliveira deixa o Goiás com 47% de aproveitamento no Brasileirão com cinco vitórias, dois empates e cinco derrotas.

No seu site oficial, a diretoria agradeceu ao técnico por todo trabalho desenvolvido até aqui e deseja sorte ao treinador e seu auxiliar técnico Luciano Gusso. A equipe esmeraldina será comandada interinamente pelo preparador físico Robson Gomes até que um novo treinador seja anunciado.

Após o novo desastre, Claudinei Oliveira pediu desculpas à torcida. "Numa derrota deste jeito resta apenas pedir desculpa ao nosso torcedor, que deve estar decepcionado. Mas a culpa é de todos nós, da comissão técnica e dos jogadores", reconheceu.

E ele já pensava em reabilitação diante do Corinthians, em jogo adiado da sétima rodada que foi marcado para esta quarta-feira, na Arena Corinthians, em São Paulo. Até sonhava alto. "Vamos para este jogo para vencer e somar três pontos", prometeu. O Goiás pode até se reabilitar, mas sem ele no banco de reservas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.