STR/AFP
STR/AFP

Após surpreender na Copa, Rússia goleia a República Checa em amistoso

Seleção mantém embalo da Copa do Mundo e faz 5 a 1, sem qualquer dificuldade

Estadão Conteúdo

10 Setembro 2018 | 16h22

A boa campanha diante de sua torcida na última Copa do Mundo segue embalando a seleção russa. Nesta segunda-feira, a equipe recebeu a República Checa na Arena Rostov, um dos palcos do Mundial, e não teve qualquer dificuldade para atropelar por 5 a 1.

Se antes da Copa a Rússia ficou quase oito meses sem vencer uma partida, agora tem apenas uma derrota nos últimos oito jogos, para o Uruguai, na primeira fase do Mundial. Afinal, a eliminação nas quartas de final do torneio, para a Croácia, aconteceu somente nos pênaltis, após empate por 2 a 2 na prorrogação.

Vinda de triunfo sobre a Turquia fora de casa, por 2 a 1, pela estreia da Liga das Nações, a Rússia foi com tudo para cima nos primeiros minutos desta segunda-feira e marcou três vezes nos primeiros 30 minutos. Aos sete, Aleksey Ionov recebeu ótima enfiada de bola, saiu sozinho e tocou na saída do goleiro para abrir o placar.

Aos 23, Anton Zabolotny fez o seu e ampliou, mas o dia era mesmo de Ionov. Aos 28 minutos, o meia do Rostov aproveitou cobrança de pênalti para marcar o terceiro dos donos da casa.

A Rússia, então, relaxou e permitiu que a República Checa diminuísse aos 28 da etapa final, com Tomas Soucek. Mas parou por aí. Quatro minutos depois, foi o time anfitrião que marcou mais um, com Aleksandr Yerokhin. E ainda houve tempo para que Dmitry Poloz fizesse o quinto e selasse o placar.

Integrante do grupo da Rússia na Copa, mas eliminada ainda na primeira fase, a Arábia Saudita também entrou em campo nesta sexta em amistoso e não passou de um empate com a Bolívia por 2 a 2, em Riad. Yahya Al Shehri e Salem Al-Dawsari, de pênalti, marcaram para os donos da casa. Jhasmany Campos descontou para os bolivianos ainda no primeiro tempo e Marcelo Moreno, já na etapa final, selou o resultado também de pênalti.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.