Nigel Roddis/Reuters
Nigel Roddis/Reuters

Após temporada ruim, direção do Manchester United promete investir alto

Equipe pretende contratar para voltar a aparecer nas primeiras posições da liga inglesa

Agência Estado

15 de maio de 2014 | 12h37

MANCHESTER - O fracasso na tentativa de se classificar para a próxima edição da Liga dos Campeões da Europa deverá custar ao Manchester United cerca de US$ 50 milhões (aproximadamente R$ 110 milhões). Apesar disso, a direção do clube garantiu nesta quinta-feira que tem condições financeiras suficientes para reforçar o elenco após a decepcionante campanha no Campeonato Inglês.

O Manchester United não teve sucesso na defesa do seu título. Terminou o torneio nacional na sétima colocação e demitiu o técnico David Moyes, menos de dez meses após ele suceder Alex Ferguson. "Estamos agora focados em trazer um novo técnico que irá ajudar o Manchester United a retornar ao topo do futebol inglês", disse Ed Woodward, vice-presidente do clube.

A expectativa é para que o novo técnico seja Louis van Gaal, cujo contrato como treinador da seleção da Holanda se encerra após a Copa do Mundo. Ele chegaria a um clube que não fica fora da Liga dos Campeões desde a temporada 1995/1996, uma ausência que Woodward disse que custará ao clube "cerca de 30 milhões de libras (R$ 110 milhões)". "As expectativas do clube, e você vai ver isso refletido no mercado de transferências, é absolutamente voltar para a Liga dos Campeões", disse.

Woodward garantiu que o clube continua sendo uma "impressionante" operação de negócios. As receitas aumentaram 26%, para 115,5 milhões de libras (R$ 427,8 milhões), nos três primeiros meses de 2014, com o Manchester United tendo chegado às quartas de final da Liga dos Campeões e também se beneficiado de patrocínios adicionais. "Isso nos coloca em uma posição financeira saudável para continuar a investir no elenco", disse.

A equipe precisará passar necessariamente por mudanças, pois os zagueiros Rio Ferdinand e Nemanja Vidic deixaram o clube. O Manchester já quebrou seu recorde de transferências neste ano ao contratar o meia Juan Mata em janeiro por 37 milhões de libras (R$ 137 milhões). Mesmo assim, os lucros triplicaram para 10,9 milhões de libras (R$ 40,4 milhões) no trimestre, e a dívida caiu 4%, para 351,7 milhões de libras (R$ 1,303 bilhão).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.