Claudio Lattanzio|EFE
Claudio Lattanzio|EFE

Após ter carros incendiados, presidente do Pescara diz que deixará clube

Clube faz uma das piores campanhas da história do Italiano e ocupa lanterna

Estadao Conteudo

07 Fevereiro 2017 | 19h14

A pressão da torcida em meio à situação desesperadora do Pescara chegou a níveis insustentáveis nesta terça-feira, quando o presidente do clube teve dois de seus carros incendiados. Horas depois do crime ocorrido em frente à sua residência, Daniele Sebastiani anunciou que vai deixar o cargo no fim deste ano.

"Estou ultrajado. No fim do ano, vou deixar o clube", confirmou o dirigente em entrevista à rádio local Il Centro. O anúncio foi realizado após as primeiras investigações da polícia de Pescara, que concluiu que o incêndio ocorrido pela manhã foi, de fato, criminoso.

O Pescara faz uma das piores campanhas da história do Campeonato Italiano e ocupa a lanterna com somente nove pontos em 23 partidas disputadas. A equipe não vence desde agosto do ano passado e já soma 22 jogos consecutivos sem um resultado positivo, sendo 21 pelo Italiano.

No último domingo, o Pescara foi atropelado em casa pela Lazio, por 6 a 2, e a torcida realizou um protesto do lado de fora do estádio. Em meio à crise do clube, torcedores já haviam mostrado o descontentamento ao interromper a festa anual do elenco no fim de 2016.

"Isso tem acontecido já há algum tempo. Infelizmente, no futebol, quando você não consegue resultados, é sempre culpa de quem está no comando. De um certo ponto de vista, é certo que soframos com isso, mas criticar é uma coisa, chegar a este ponto é outra", disse Sebastiani à Rádio 24.

A polícia de Pescara agora analisa as câmeras de segurança e tenta identificar os suspeitos. Imediatamente após saber do incidente, o presidente da Federação Italiana de Futebol, Carlo Tavecchio, entrou em contato com Sebastiani para prestar solidariedade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.