Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Após título, Tite rebate Messi e diz que argentino precisa saber perder

Técnico se irrita com ataque do jogador sobre a lisura da Copa América e pede respeito

Ciro Campos, enviado especial ao Rio de Janeiro, O Estado de S. Paulo

07 de julho de 2019 | 21h57

Emocionado pela conquista da Copa América e acompanhado pela família, o técnico Tite comemorou a conquista da Copa América sem deixar de responder as perguntas mais duras dos jornalistas neste domingo. O treinador da seleção brasileira demonstrou irritação no Maracanã com as declarações do argentino Lionel Messi, que no último sábado afirmou que a competição estava "armada" para o Brasil ser campeão.

Para o treinador brasileiro, o camisa 10 argentino faltou com respeito. "Aquele que reputei como extraordinário, como 'extraterrestre', até porque coloquei dessa forma...Ele tem de ter um pouco mais de respeito para entender e aceitar quando é vencido. Fomos prejudicados em uma série de jogos, inclusive na Copa do Mundo. Então, mais cuidado", afirmou o treinador depois da vitória por 3 a 1 sobre o Peru.

Tite concedeu entrevista com a taça de campeão à sua frente e com uma série de respostas sinceras. O técnico considerou que o comentário de Messi foi fruto da irritação por ter sido expulso de forma injusta contra o Chile, na disputa pelo terceiro lugar. "Ele botou pressão muito grande pela grandeza que tem", disse o treinador. "Nós jogamos limpo contra a Argentina o tempo todo. É preciso tomar cuidado para não transferir responsabilidade", comentou.

O técnico brasileiro disse estar satisfeito pelo título inédito na carreira e revelou ainda não ter se sentido campeão. Tite vai buscar descansar e só depois quer analisar a partida, mas reclamou bastante da arbitragem. "Foi descriteriosa. O árbitro estava extremamente pressionado e cometeu um erro crasso que em jogo de alto nível não pode acontecer", disse o treinador em referência ao pênalti marcado no primeiro tempo por toque de mão de Thiago Silva.

Após a conquista, o treinador dividiu o mérito com a comissão técnica. O auxiliar dele, Cleber Xavier, confirmou a saída do coordenador de seleções Edu Gaspar para assumir cargo de dirigente no Arsenal, da Inglaterra, e disse que a CBF procura agora um novo executivo para a função. Um dos nomes cotados é do ex-meia Juninho Paulista, atualmente diretor de desenvolvimento da entidade.

Segundo Tite, o título brasileiro é merecido porque até mesmo nos mais de 20 minutos em que esteve com um a menos após perder Gabriel Jesus expulso, a equipe não sofreu sustos. "Tomamos a posse de bola e estivemos muito próximos de fazer o terceiro antes da expulsão. No segundo tempo, o Alisson, acho que fez uma defesa só. Começamos a criar bastante, a ter um jogo de enfrentamento. Mas fomos superiores", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.