Silvia Izquierdo/AP
Silvia Izquierdo/AP

Após títulos com o Flamengo, Jorge Jesus recebe título de Cidadão Honorário do Rio

Técnico português recebe homenagem na Câmara Municipal e elogia carinho dos brasileiros: 'É um País irmão'

Marcio Dolzan, do Rio, Estadão Conteúdo

25 de novembro de 2019 | 14h44

Em uma sessão que durou mais de duas horas e que foi recheada por discursos de exaltação ao Flamengo, o técnico português Jorge Jesus recebeu o título de Cidadão Honorário Fluminense - que todos no Rio chamam de Cidadão Carioca - da Câmara Municipal. A homenagem fez o treinador se emocionar. Em seu discurso, ele agradeceu o carinho que tem recebido no Brasil, que disse sempre ter aprendido se tratar de "um País irmão".

"Eu, como cidadão português, e hoje cidadão carioca, queria dizer que eu já era um cidadão brasileiro. Portugal está ligado ao Brasil desde 1500, quando Cabral atracou em Porto Seguro. Na minha infância os meus professores ensinaram que o Brasil é um País irmão. Em Portugal eu fui educado, e é assim que é a minha formação, que o Brasil é um País irmão", afirmou Jorge Jesus, que foi muito aplaudido.

"Se eu estou aqui (sendo homenageado) é por duas coisas importantes: primeiro é aquilo que eu amo, que é o futebol. Segundo, é porque o Clube de Regatas do Flamengo me deu a oportunidade de treinar o maior clube do mundo", continuou o treinador.

A homenagem foi proposta pelo vereador Felipe Michel (PSDB) e foi aprovada em uma velocidade pouco comum na Câmara de Vereadores. Segundo o próprio parlamentar, o título de Cidadão Carioca a Jorge Jesus foi aprovado em dois turnos em uma sessão extraordinária convocada para a quinta-feira da semana passada. Michel - que mais de uma vez lembrou que atuou na base do Flamengo - declarou ainda, sem deixar transparecer uma ponta de orgulho, que a convocação extraordinária e com aprovação unânime não seria aceita se o tema tratado fosse outro.  

Os discursos políticos, aliás, foram inúmeros e fizeram a sessão se arrastar. O mais curioso é que, apesar de se tratar de uma homenagem da Câmara Municipal, vereadores foram os que menos falaram. Teve discurso do governador Wilson Witzel (PSC) - que é corintiano, mas desde a eleição passada tem se apresentado também como flamenguista -, do vice Cláudio Castro (PSC) e do deputado federal Doutor Luizinho (Progressistas). O parlamentar chegou a chorar na tribuna ao comentar sua presença em Lima com a família para assistir à final da Libertadores, no sábado, e garantiu que em Brasília está sempre pronto para defender o clube.

Em vídeo gravado, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos) elogiou o título de Cidadão Carioca a Jorge Jesus. Quem também enviou vídeo foi o senador Flávio Bolsonaro (ex-PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro. Quando sua fala foi exibida, um dos cerca de 50 torcedores do Flamengo que estavam nas galerias da Câmara gritou "cadê o Queiroz?", em alusão ao ex-assessor Fabrício Queiroz, que trabalhava com Flávio à época que ele era deputado estadual no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.