Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Após três derrotas em oito jogos, Caio Júnior é demitido pelo Grêmio

Com demissão, Vanderlei Luxemburgo, ex-Flamengo, aparece como o principal nome para substituir técnico

AE, Agência Estado

20 de fevereiro de 2012 | 12h45

PORTO ALEGRE - Depois de apenas oito jogos no comando do Grêmio, o técnico Caio Júnior teve a sua demissão confirmada oficialmente pela diretoria do clube no início da tarde desta segunda-feira. Ele deixa o cargo depois de conquistar apenas quatro vitórias, amargar três derrotas e ainda contabilizar um empate.  

Com a demissão de Caio Júnior, o técnico Vanderlei Luxemburgo aparece como principal opção para o cargo, depois de ter sido demitido pelo Flamengo. O clube espera poder fechar a contratação do treinador ainda nesta segunda-feira.

Contratado em dezembro depois da saída de Celso Roth ao término do Campeonato Brasileiro, Caio Júnior acabou perdendo o seu cargo após a derrota por 2 a 1 para o São José, fora de casa, no último sábado, que obrigará o time gremista a enfrentar o arquirrival Internacional, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, pelas quartas de final do primeiro turno do Campeonato Gaúcho.

Agora sem Caio Júnior, o Grêmio confirmou que o auxiliar-técnico Roger Machado comandará o time interinamente no clássico desta quarta. Já os auxiliares Solivan Dalla Valle e Almir Domingues deixam o clube junto com o ex-comandante gremista.

Depois da contratação de uma série de reforços para esta temporada, entre eles o atacante Kléber, ex-Palmeiras, a diretoria do Grêmio esperava por um melhor desempenho de Caio Júnior no comando do time, que só se classificou para as quartas de final do primeiro turno do Gaúcho por causa dos pontos perdidos pelo Cruzeiro local no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Mesmo beneficiado pelo fato, a equipe avançou apenas como quarto colocado de sua chave à fase seguinte da competição estadual.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGrêmioCaio Júnior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.