Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Após três jogos sem vitória, jogadores do São Paulo prometem 'resposta imediata'

Próximos jogos serão diante do Ceará, fora de casa, e do Vasco, no Morumbi; time está em 6º lugar

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2019 | 04h30

Depois de três jogos sem vencer (duas derrotas e um empate), os jogadores do São Paulo buscam interromper o declínio na reta final do Campeonato Brasileiro de forma rápida. Os dois próximos jogos serão contra adversários que estão na luta contra o rebaixamento (Ceará, no Castelão) e no meio da tabela (Vasco, no Morumbi).

“Não (tem explicação para a falta de vitórias). A gente vem melhorando, infelizmente, acontece no futebol. A gente está aí para não deixar isso acontecer, mas tem coisas que a gente não controla. Tivemos mais posse de bola. É lógico que isso não adianta. Criamos mais. É procurar caprichar mais para sairmos com a vitória nos próximos jogos”, comentou Tchê Tchê em entrevista coletiva.

O time apresenta campanha irregular nos 12 jogos com Fernando Diniz. Foram cinco vitórias, três empates e quatro derrotas. Neste período, a equipe tricolor não conseguiu embalar uma sequência de pelo menos três resultados positivos. Depois de vencer o Avaí e o Atlético-MG, o time perdeu para o Palmeiras de maneira contundente por 3 a 0.

Hoje, a equipe está na sexta colocação, com 53 pontos. A equipe poderá conquistar uma vaga na Libertadores caso o Flamengo vença o torneio no sábado, na final contra o River Plate, em Lima. Em caso de título rubro-negro, o G-4 do Campeonato Brasileiro viraria G-5. Com isso, o time tricolor avançaria de forma direta à competição sul-americana, já que o Athletico-PR, atual quinto colocado, já assegurou uma vaga por ter sido campeão da Sul-Americana.

“A gente se cobra bastante. A importância não dá nem para falar (a vaga na Libertadores). É claro que a gente pensa na melhor expectativa, que seria ter mais tempo para trabalhar no início do ano. Mas, como eu disse antes, a gente não controla certas coisas. Temos de pensar em dar uma resposta interna e para a nossa torcida também. É óbvio que a gente sabe que temos de buscar bons resultados. Não estão faltando empenho e dedicação, mas a vitória tem de vir”, concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.