Luiz Henrique/Figueirense
Luiz Henrique/Figueirense

Após tropeço em casa, Milton Cruz deixa o comando do Figueirense

Treinador foi demitido depois de perder para o CSA por 2 a 1, no sábado, pela Série B

Estadao Conteudo

10 Setembro 2018 | 14h36

Dois dias após a derrota por 2 a 1 para o CSA em casa, a diretoria do Figueirense anunciou nesta segunda-feira a demissão do técnico Milton Cruz, mas também informou que ele foi convidado a permanecer no clube no cargo de "manager" para a sequência da Série B do Campeonato Brasileiro. O auxiliar Ivan Izzo e o preparador físico José Mário Campeiz saem em definitivo.

Quanto ao convite de continuar em outra função, sugestão do presidente Claudio Vernalha, Milton respondeu negativamente. "Eu decidi seguir na carreira como técnico, fiz todos os cursos da CBF e vou seguir meu caminho, quero permanecer como treinador", afirmou Cruz, ao dispensar a proposta.

Antes da derrota para o CSA, o Figueirense não perdia há quatro jogos na Série B. No meio da sequência, até venceu por 1 a 0 o clássico com o Avaí, mas empatou dois jogos, um deles em casa contra o Brasil de Pelotas. O desempenho atual jogando no estádio Orlando Scarpelli, inclusive, é um dos fatores que criou uma forte pressão da torcida.

A última vitória do time como mandante foi no dia 24 de julho, por 2 a 1, sobre o Vila Nova. Depois disso, foram quatro partidas em casa, com dois empates e duas derrotas. Milton deixa o time catarinense na oitava colocação, com 38 pontos, a quatro do quarto colocado Goiás, último time dentro da zona de classificação, com 42.

Contratado em agosto de 2017, o técnico evitou o rebaixamento do Figueirense no ano passado e começou bem a atual temporada, com o título do Campeonato Catarinense. Em 68 jogos, venceu 31, empatou 21 e perdeu 16, com o bom aproveitamento de 55,88%.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.