César Greco / Ag. Palmeiras
César Greco / Ag. Palmeiras

Após um ano, Dudu vive nova turbulência com os torcedores do Palmeiras

Atacante é questionado por não ter batido pênalti em semifinal contra o São Paulo

Gonçalo Junior, Estadão Conteúdo

09 de abril de 2019 | 12h14

Após a eliminação do Palmeiras pelo São Paulo nas semifinais do Campeonato Paulista, no último domingo, no estádio Allianz Parque, na capital paulista, muitos torcedores questionaram a ausência de Dudu entre os batedores de pênaltis. Por causa disso, o perfil do atacante nas redes sociais foi invadido por críticas de palmeirenses.

Em abril do ano passado, praticamente um ano atrás, o atacante também viveu um momento de instabilidade com a torcida. No Paulistão de 2018, a última decisão de pênaltis com a presença de Dudu em campo, o atacante foi um dos cobradores contra o Corinthians, mas desperdiçou o seu chute, defendido pelo goleiro Cássio. Na ocasião, o time perdeu o título paulista em casa.

Na sequência foram dois empates (Boca Juniors, pela Copa Libertadores, e Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro). Dudu chegou a desabafar afirmando que "depois de dois empates, os jogadores não valem nada". O atacante também se manifestou nas redes sociais.

Ainda nesse contexto, o Palmeiras recebeu duas propostas milionárias da China, a última delas do Shandong Luneng na metade do ano, mas conseguiu segurar o jogador, que chegou a pensar em se transferir. O atacante se recuperou no segundo semestre e foi um dos líderes da conquista do Brasileirão, sendo eleito o craque do torneio e da campanha que chegou às semifinais da Libertadores.

Dudu chegou ao Palmeiras em 2015 por 6 milhões de euros (R$ 26 milhões na cotação atual), vindo do Dínamo de Kiev, da Ucrânia, após uma temporada de destaque emprestado ao Grêmio. O clube alviverde é dono de 100% dos direitos econômicos do atacante. Seu contrato vai até 2022, com multa rescisória de 60 milhões de euros (quase R$ 261 milhões).

Mais conteúdo sobre:
futebolPalmeirasDudu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.