Guilherme Kastner/Brazil Photo Press
Guilherme Kastner/Brazil Photo Press

Após vaias, Gabriel descarta gestos direcionados à torcida

Atacante evita polêmica com santistas após anotar o gol de empate

Estadão Conteúdo

30 Março 2015 | 13h54

O atacante Gabriel foi o autor do gol que selou o empate do Santos por 2 a 2 diante do São Bento, no último domingo, e evitou um tropeço ainda maior em plena Vila Belmiro, mas ainda assim foi o jogador mais perseguido pela torcida. Isso porque justamente após balançar a rede, na comemoração, levou as mãos aos ouvidos, como se não quisesse ouvir as vaias dos santistas para o time. Resultado: ele passou a ser o mais vaiado.

De cabeça fria, Gabriel usou as redes sociais para se explicar nesta segunda-feira, e descartou que quisesse provocar os santistas com o gesto do último domingo. "Boa tarde. Queria deixar claro que minha comemoração não foi direcionada à torcida do meu Peixão, e sim para algumas pessoas que têm falado de mim injustamente e até da minha família, que é o meu bem mais precioso", escreveu em sua página no Twitter.

Talvez justamente por estar mais calmo, o atacante se mostrou bem menos irritado do que no dia anterior e fez juras de amor ao clube. "Eu sou Santos e sempre serei Santos! Agradeço a Deus por tudo e pelos sonhos que tenho realizado na minha vida. Obrigado pelo carinho e pelas críticas construtivas!", completou.

As vaias da torcida foram resultado da derrota de quinta-feira, para a Ponte Preta, a primeira do Santos no ano, e o mau futebol exibido diante do São Bento. Apesar das críticas, o time da Vila Belmiro é o líder do Grupo 4 do Campeonato Paulista, com 30 pontos, e já tem a classificação e a primeira colocação da chave asseguradas.

Mais conteúdo sobre:
futebol Santos FC Gabriel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.