Gabriel Bouys/AFP
Gabriel Bouys/AFP

Após vencer o Brasil, Bélgica não chega à final e quebra tradição de 28 anos

Desde 1990 as equipes que eliminavam a seleção brasileira iam até a final

Beto Silva, especial para o Estado, Estadão Conteúdo

10 Julho 2018 | 17h42

A derrota da Bélgica para a França, por 1 a 0, nesta terça-feira, em São Petersburgo, pela semifinal da Copa do Mundo, quebrou uma escrita que perdurava 28 anos. Desde o Mundial de 1990, as seleções que eliminaram o Brasil do torneio sempre estiveram na final. Caso contrário, a equipe verde-amarela foi campeã ou perdeu a decisão.

+ TEMPO REAL - França 1 x 0 Bélgica

+ Análise: França colocou Bélgica no seu devido lugar e mostrou qual geração é boa mesmo

Mais do que isso, na história de 21 edições de Copas do Mundo, contando a da Rússia neste ano, a Bélgica foi a quinta seleção a despachar o Brasil, seja em jogo eliminatório ou em fase de grupos, e não chegar à decisão.

Antes dos belgas, isso aconteceu somente em 1930, com a Iugoslávia ficando à frente da seleção brasileira na primeira fase e depois sendo derrotada pelo Uruguai; em 1934, quando a Espanha venceu os brasileiros nas oitavas de final e parou na fase seguinte; em 1966, com Portugal de Eusébio mandando o time de Pelé de volta para casa ainda na fase de grupos; e em 1986, quando a França superou o Brasil nos pênaltis nas quartas de final, mas parou na Alemanha Ocidental na semifinal.

Nos últimos 28 anos, porém, a tradição se manteve. Em 1990, na Copa da Itália, a Argentina de Caniggia e Maradona bateu o Brasil, do técnico Sebastião Lazaroni, por 1 a 0 nas oitavas de final. Depois, os argentinos passaram por Iugoslávia e Itália, parando apenas na Alemanha, na decisão, na qual foram derrotados por 1 a 0.

 

Em 1994, nos Estados Unidos, os brasileiros levantaram o tetracampeonato, com Romário e companhia. Em 1998, na França, revés da equipe canarinho para a anfitriã na finalíssima, por 3 a 0, em jogo marcado pela convulsão de Ronaldo horas antes da partida. Em 2002, pentacampeonato com Ronaldo sem problemas físicos, balançando duas vezes as redes da Alemanha na grande final.

Em 2006, na Alemanha, o Brasil mais uma vez foi superado pela França, desta vez nas quartas de final, por 1 a 0. Na sequência da competição, os franceses venceram Portugal na semifinal e caíram diante da Itália na decisão, nos pênaltis.

Em 2010, na África do Sul, a seleção de Dunga sucumbiu diante da Holanda ao perder por 2 a 1, nas quartas de final, em que Felipe Melo foi o destaque negativo ao pisar em Robben e ser expulso. Os holandeses despachariam o Uruguai e perderiam para a Espanha, por 1 a 0, na decisão.

Em 2014, em casa, o Brasil ficou de joelhos frente à Alemanha no eterno 7 a 1 na semifinal, no Mineirão, em Belo Horizonte. Os alemães ainda bateriam a Argentina por 1 a 0, na decisão no Maracanã, para ficar o quarto título mundial de sua história.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.