Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Após venda de Luan Peres, Santos anuncia acordo para quitar dívida com Doyen

Clube tinha grande dívida com a empresa pela contratação de Leandro Damião em 2013

Redação, Estadão Conteúdo

17 de julho de 2021 | 20h25

O Santos anunciou, em nota oficial divulgada na tarde deste sábado, que conseguiu um acordo com a Doyen para quitar a expressiva dívida contraída em 2013, quando a empresa fez um empréstimo ao clube para a contratação do atacante Leandro Damião. De acordo com o comunicado santista, a resolução só foi possível por causa da venda do zagueiro Luan Peres ao Olympique de Marselha, confirmada na última quarta-feira.

O clube da Vila Belmiro afirma que havia uma última parcela da dívida com a Doyen a ser paga em setembro de 2019, no valor de 5 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões), o que não foi feito. Com isso, o caso voltou para a Justiça e a cobrança triplicou, chegando a 15 milhões de euros (R$ 90 milhões). Desde então, por sete anos, o Santos vinha sofrendo com uma série de bloqueios judiciais em suas contas.

"Durante algumas semanas de fevereiro e março, não entrou um só real no clube, até que foi obtida uma liminar liberando 15% e, posteriormente, 85% das receitas ordinárias, mas mantendo as receitas extraordinárias, como venda de atletas, totalmente bloqueadas. Com isso, o Santos FC sofreu, a cada mês, para honrar a folha salarial e os demais pagamentos no Clube", disse um trecho do comunicado.

A Doyen aceitou conceder 45% de desconto ao Santos, o que reduz a dívida para 8,25 milhões de euros, parcelados em pagamentos que terminam em dezembro de 2023. "Ainda temos uma série de dívidas a serem pagas. Dos dez grandes problemas financeiros, nove estão com acordos fechados agora. Vamos honrar esses pagamentos para garantir a reorganização financeira de nossa instituição", comentou o presidente santista Andres Rueda.

Segundo o Santos, o acordo só foi obtido porque envolveu parte do dinheiro pago pelo Olympique de Marselha para contratar Luan Peres. Para fechar a negociação com o clube francês, a diretoria santista convenceu o Club Brugge, clube belga do qual comprou o zagueiro, a abrir mão da porcentagem de venda.

"É muito doloroso anunciar que perderemos Luan, o zagueiro que foi a primeira contratação da nossa gestão. Confiamos muito em seu futebol, mas, infelizmente, neste momento, foi a solução encontrada. Mesmo com todas as dificuldades, estamos conseguindo honrar os compromissos de curto prazo, como salários, direitos de imagem, todos em dia, além de impostos e acordos diversos", disse Rueda.

Sem revelar o número exato, o time paulista afirmou que vendeu Luan por um valor maior do que se gastou para contratá-lo, cerca de R$ 20 milhões. O defensor fez 90 jogos com a camisa do Santos, 87 deles como titular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.