AFP
AFP

Após vice na Copa, Modric diz que Croácia 'se esvaziou emocional e fisicamente'

Croatas ainda não venceram na Liga das Nações, torneio europeu entre seleções

Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2018 | 17h14

Eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa neste ano, Luka Modric viveu o seu auge na carreira ao ser o principal nome da seleção croata que conquistou o histórico vice-campeonato da Copa de 2018, na Rússia. Foi o maior resultado do futebol do seu país em todos os tempos, mas depois o time nacional caiu de rendimento e, já na estreia da Liga das Nações da Uefa, sofreu uma humilhante goleada de 6 a 0 da Espanha, fora de casa, no dia 11 de setembro.

Na rodada seguinte da competição, em outubro, a seleção croata não passou de um empate por 0 a 0 com a Inglaterra, atuando como mandante. Nesta quinta-feira, pela terceira rodada do Grupo 4 da Liga A do torneio continental, a Croácia vai reencontrar os espanhóis, às 17h45 (de Brasília), em Zagreb, para conquistar o seu primeiro triunfo nesta recém-criada Liga.

Ao comentar o atual momento vivido pela sua seleção, Modric admitiu nesta quarta-feira, em entrevista coletiva, que houve uma certa acomodação natural dos vice-campeões do mundo, assim como uma queda física decorrente da disputa de um Mundial desgastante ocorrido após o término da temporada europeia de clubes.

"Conseguimos um êxito histórico e logo tivemos jogos fortes diante de Espanha e Inglaterra muito rapidamente, depois de um período em que nos esvaziamos emocional e fisicamente. Essas podem ser as razões pelas quais não estivemos à altura do nosso futebol depois do Mundial", analisou o craque do Real Madrid, no estádio que abrigará o duelo desta quinta-feira em Zagreb.

E Modric garantiu que a seleção croata agora conseguiu recuperar o bom nível de atuação e tem tudo para dar uma boa resposta ao seu torcedor neste reencontro com a Espanha. "É normal que ocorra no futebol, depois de uma época de saturação, que logo você relaxe e isso nos custou um preço diante da Espanha, mas agora temos melhorado nossa forma física e isso será visto em campo", garantiu.

O meio-campista negou também que encare este duelo contra a Espanha como uma revanche, até porque terá pela frente alguns dos seus companheiros de Real, como o zagueiro Sergio Ramos. "Estamos sempre motivados a jogar pela Croácia, independentemente da competição e do rival, e queremos representar o país da melhor maneira possível a qualquer momento", destacou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.