Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Após vitória em Minas, Dracena destaca vantagem do Palmeiras para a volta

Palmeiras venceu o América por 2 a 1 e poderá jogar pelo empate no dia 23 para avançar na Copa do Brasil

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

09 Maio 2018 | 22h25

O zagueiro Edu Dracena afirmou que o Palmeiras poderia ter ficado mais com a posse de bola na vitória sobre o América-MG por 2 a 1 na noite desta quarta-feira, no Estádio Independência, na estreia na Copa do Brasil. Apesar da vantagem, o time paulista foi pressionado no segundo tempo.

+ Palmeiras vence em Minas e abre vantagem na Copa do Brasil

+ Palmeiras entra com mandado no STJD para impugnar final do Paulistão

“Poderíamos ter ficado mais com a bola. Cadenciamos mais o jogo, tentamos jogar mais com a bola nos pés, mas eles marcaram bem. A gente tinha de ficar um pouco mais com a posse de bola no ataque e não na defesa”, afirmou o zagueiro do Palmeiras. “O importante foi a vitória. A gente sabia que, embora o América tivesse perdido os últimos jogos, sabíamos que seria dificil. Viemos para ganhar e ganhamos”, completou.

O jogo de volta será no dia 23 de maio no Allianz Parque. O Palmeiras joga pelo empate; vitória do América por um gol leva a decisão para os pênaltis. “É um placar que dá para reverter. Jogamos de igual para igual com o Palmeiras e podemos conseguir o resultado no jogo de São Paulo”, disse o meia Serginho, autor do gol do América.

No jogo desta quarta-feira, o Palmeiras mostrou como consegue ser o melhor visitante do futebol brasileiro na temporada. A equipe mantém o padrão tático e toma a iniciativa mesmo na casa dos rivais. Em 15 ocasiões, ganhou 12, empatou duas e foi superado em uma única partida, diante do Corinthians, que será exatamente o próximo rival do Palmeiras. Domingo, os dois arquirrivais se enfrentam pela primeira vez após a polêmica decisão do Campeonato Paulista.

O Palmeiras entrou com um mandado nesta quarta-feira no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para que o órgão obrigue o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) a analisar o pedido de impugnação do segundo jogo da final do Campeonato Paulista. O clube alega que houve interferência externa na decisão da arbitragem de anular um suposto pênalti de Ralf em Dudu. Na decisão por pênaltis, o Corinthians se sagrou campeão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.