Após vitória, Gilson Kleina pede paciência no Palmeiras

Treinador destaca o nervosismo do time após sofrer o primeiro gol

Agência Estado

18 de janeiro de 2014 | 20h05

SÃO PAULO - O Palmeiras estreou com vitória no Paulistão, mas o técnico Gilson Kleina não saiu totalmente satisfeito com a virada sobre o Linense, por 2 a 1, neste sábado, no Pacaembu. Um problema que acontecia no ano passado, persiste. O time se apavora quando leva gol.

"Peço paciência para a torcida. O jogo ficou perigoso quando levamos o gol. Vi zagueiro virando meia, meia indo para o ataque... a gente não pode ficar tão nervoso assim e também precisamos de paciência", alertou o treinador, lembrando que alguns torcedores chegaram a vaiar o time no segundo tempo do jogo deste sábado, quando o Linense ainda vencia por 1 a 0.

Destaque da partida, ao marcar um gol e dar o passe para Alan Kardec fazer o outro, o meia Mazinho esbanjou sinceridade ao falar de seu gol. "Para falar a verdade, eu não imaginava que conseguiria acertar aquele chute, ainda mais de direita, que não é a perna boa", contou o jogador, que voltou ao clube agora, depois do empréstimo ao Vissel Kobe, do Japão.

Para Alan Kardec, autor do outro gol palmeirense, o resultado foi "importantíssimo". "Por três motivos: foi uma pré-temporada muito rápida, de poucos dias; ter saído atrás do placar; pelos três pontos, que são importantíssimos, sabendo que não jogamos com os adversários do nosso grupo", afirmou o atacante, mostrando estar atento à nova fórmula do Paulistão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasGilson Kleina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.