José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Após vitória, Muricy descarta antecipar férias de Neymar

Atacante levou cartão amarelo contra o Figueirense e está fora do clássico com o Corinthians

Agência Estado

18 de novembro de 2012 | 10h09

SANTOS - O Santos bateu o Figueirense por 2 a 0, no último sábado, na Vila Belmiro, pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas perdeu o atacante Neymar para o clássico diante do Corinthians, sábado que vem. Ele levou o terceiro cartão amarelo por simulação e poderia ter suas férias antecipadas, já que a equipe terá apenas mais uma partida antes do fim da temporada e não briga por nada no Brasileirão, mas o técnico Muricy Ramalho descartou a possibilidade.

 

"Ele não sente cansado não. Dificilmente ele pede para ficar fora. Não acredito que vá ficar fora do último jogo da competição. Se estiver inteiro, vai jogar. A gente ganha mais um tempo para ele, até para o ano que vem para o Santos e seleção", declarou o treinador, exaltando o preparo do atacante mesmo com a maratona de jogos pelo Santos e pela seleção ao longo de 2012.

 

Se Neymar ainda atuará neste Brasileirão, o pensamento do treinador já é em 2013. Decepcionado com o segundo semestre santista, já que a equipe se manteve longe da briga pelo título nacional, Muricy avaliou os pontos altos e baixos no ano e projetou mudanças para a próxima temporada.

 

"Estou com muita paciência, porque um time como o Santos não pode deixar de participar de um campeonato como o Brasileiro. Após a Libertadores, desmanchamos o time. A gente não pode deixar, é claro, jogar só um semestre. Temos que jogar o ano todo. Com muita paciência e esperança em disputar bem o Brasileiro. Fomos bem no Paulista, Libertadores e Recopa. Mas no Brasileiro muito ruim. Isso me irrita muito", admitiu.

 

Nesta linha de pensamento, Muricy já pensa em reforços e admitiu o interesse no atacante Willian José, do São Paulo. "É um bom jogador. Com certeza, nessa posição estamos trazendo um bom jogador. Não podemos ter só um plantel, mas um time. As pessoas têm que entender que só se ganha um campeonato, como um Brasileiro, com um plantel e não com um time. E isso a gente vai ter", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.