Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Após vitória nos pênaltis, Palmeiras valoriza estreias de Gabriel Menino e Wesley

Na Florida Cup, atuações de garotos marcam apresentação do time contra o Atletico Nacional

Redação, O Estado de S. Paulo

16 de janeiro de 2020 | 09h48

A estreia na temporada com empate por 0 a 0 seguido de vitória nos pênaltis por 10 a 9 sobre o Atlético Nacional, nesta quarta-feira, em Orlando, fez o Palmeiras começar o ano otimista e feliz com o desempenho dos garotos. Os recém-promovidos Gabriel Menino e Wesley foram alguns dos destaques, ao terem boa atuação e ainda acertarem as cobranças decisivas.

"Os jogadores estão tentando assimilar ao máximo, é uma preparação. Mas é um campeonato que vamos tentar vencer. Os meninos foram bem, bateram pênaltis e ficamos felizes pela vitória", disse o meia Bruno Henrique após a partida. O Palmeiras volta a campo no sábado à tarde, contra o New York City, pela segunda e última partida na Florida Cup.

Com o elenco atual composto por nove revelações da base, o Palmeiras testou contra o Atlético Nacional nomes como os meias Patrick de Paula, Alan e Gabriel Menino, mais os atacantes Wesley e Gabriel Menino. Ainda esperam por chances na temporada o goleiro Vinicius Silvestre, o zagueiro Pedrão e o lateral Esteves, que ficaram no banco de reservas. Já o atacante Angulo ainda não está com grupo pois disputa o pré-Olímpico pela Colômbia.

Gabriel Menino foi captado pela base do Palmeiras em 2017 após se destacar no Guarani. Pelo clube, ganhou títulos no âmbito sub-17 e sub-20 e defendeu a seleção brasileira. Já Wesley chegou em 2016 e no ano passado, esteve emprestado ao Vitória e foi um dos destaques do time na campanha da Série B do Brasileiro, com cinco gols e três assistências.

O técnico Vanderlei Luxemburgo disse ter gostado da atuação da equipe. "Tivemos uma coisa muito boa dentro do jogo, que eu treinei. Perde e pressiona. Conseguimos roubar umas bolas no ataque, às vezes o erro era para fora. Tivemos chance no segundo tempo de ir para dentro do gol. Vou trabalhar muito em cima disso aí", comentou após a partida.  

O treinador elogiou a postura dos garotos e do restante do time na hora de bater as cobranças decisivas. "Pênalti é uma coisa que não gosto de treinar. É questão emocional mesmo. Já perdi campeonato com pênalti e ganhei campeonato com pênalti. Falei: 'Rapaziada, relaxa. Vai lá e bate. Se for tenso, não vai fazer o gol'. Acho que eles fizeram bem", afirmou.

Para a partida de sábado, o técnico deve novamente apostar nos garotos, mas ainda não sabe se poderá contar com o meia Gustavo Scarpa, que está em negociação com o Almería, da Espanha. "Existe uma proposta pelo Gustavo Scarpa. Seria irresponsável colocar e ter uma lesão, e uma venda ser cancelada. Tirei ele do coletivo e deixei fora. Não resolvendo a situação, ele volta para dentro do processo", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.