Após vitória, Tite diz que semifinal da Libertadores está indefinida

Para técnico, Santos é o campeão da Libertadores e não pode ser menosprezado

Fábio Hecico, Agência Estado

14 de junho de 2012 | 09h03

Pés no chão virou lema para o técnico do Corinthians. Nada de festejar exageradamente a vitória por 1 a 0 sobre o Santos, na Vila Belmiro. A ordem de Tite é que o time não ache que já está garantido na final da Libertadores, apesar da vantagem obtida para o segundo jogo das semifinais, que será disputado na próxima quarta-feira, no Pacaembu.

"A classificação está em aberto, o Santos é o campeão da Libertadores com extraordinário time e extraordinário técnico. Não estou falando por demagogia, mas pela qualificação e experiência que tenho", afirmou Tite. "Fizemos um grande primeiro tempo, até poderia ampliar placar. Enfim, a equipe construiu uma vitória sólida, consistente, mas só nos primeiros 90 minutos."

Com a experiência de já ter sentido na pele um resultado que classificaria o Santos - perdeu de 3 a 1 no Pacaembu no Campeonato Brasileiro de 2011 - o técnico se mantém sereno e já avisou aos jogadores que evitem dar armas para os santistas ficarem ainda mais inflamados no jogo de quarta-feira.

"Não foi a Vila que definiu, com a torcida do Santos apoiando e aplaudindo o tempo todo, e não vai ser com todo o apoio do torcedor que vai nos apoiar, temos de fazer nosso papel bem feito", endossou. "Temos de equilibrar a grandeza na concentração, no emocional e ter qualidade técnica. Não adianta só suor. Suor, apenas, não ganha jogo de ninguém", enfatizou. "Tem de ter qualidade, estar bem no aspecto tático, emocional e físico. Equilibrando você consegue ser melhor."

Tite, porém, engrandeceu a vitória e fez um desabafo, desentalando uma de suas mais duras derrotas no Corinthians. "Se tivesse poder de fazer só um argumento, diria é que aprendeu quando ardeu na carne, numa perda de classificação para o Tolima [na fase preliminar da Libertadores de 2011]."

O treinador corintiano não quis comentar a arbitragem do carioca Marcelo de Lima Henrique, mas seu silêncio deixou claro que ele não ficou feliz com a expulsão de Emerson - "quero ver melhor" - e com um possível pênalti no atacante. "Não sei se ele estava na área", limitou-se a dizer, mostrando que achou falta em lance no fim do primeiro tempo.

"Mas agora é pensar no futuro. Demos um pequeno passo diante do campeão da Libertadores, com Ganso e Arouca voltando, com o goleiro da seleção. Agora volta para o Brasileiro e essa vitória, aí sim, serve de motivação para sairmos da última colocação."

Domingo, o Corinthians visita a Ponte Preta, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, quando tentará a sua primeira vitória no torneio, mas Tite ainda não revelou se poupará os titulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.