Jamil Chade/Estadão
Jamil Chade/Estadão

Após voto em Marrocos para a Copa 2026, coronel Nunes vai para a 'geladeira'

Presidente da CBF tem se destacado pelas polêmicas em que se envolveu em sua estadia na Rússia para o Mundial

Gonçalo Junior, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

23 Junho 2018 | 07h06

Depois que o presidente da CBF, Antonio Nunes, rompeu um acordo da Conmebol e decidiu votar pela candidatura do Marrocos para receber a Copa de 2026, o dirigente não tem comparecido aos eventos da entidade. Ele está em uma espécie de "geladeira". O dirigente não esteve no lançamento da Casa Conmebol, local de eventos da entidade em Moscou, e também não participou do 2º Congresso do Futebol Sul-Americano, realizado neste sábado, em Moscou. O encontrou reuniu os principais dirigentes da região.

+ Presidente da CBF se envolve em confusão e torcedor é levado para o hospital

+ Del Nero felicitou Nunes por voto no Marrocos em escolha na Copa de 2026

+ Choro de Neymar evidencia que Neymar está uma pilha de nervos

"Foi uma decisão dele (não vir)", limitou-se a dizer Rogério Caboclo, que será o presidente a partir de abril de 2019. Segundo o dirigente, a entidade não vetou a presença do coronel no evento deste sábado.

Havia um acordo do bloco sul-americano para que todos os dez votos das federações da Conmebol fossem direcionados à candidatura dos Estados Unidos, México e Canadá na disputa para ser sede da Copa de 2026. O coronel Nunes não informou a ninguém e não respeitou o acordo. A situação abriu uma crise dentro da entidade e abalou os planos da CBF de se apresentar à família Fifa como uma nova entidade.

O presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Claudio Tapia, classificou o ato como uma "traição". "Parece estar mais perto de traição que simpatia", disse Tapia. Caboclo garante que o episódio já foi superado. "A relação é ótima. Existe uma relação de amizade pessoal, uma amizade institucional", disse Caboclo.

 

O dirigente também negou que a entidade tivesse pedido o afastamento do coronel. "Em nenhum momento. Esse é um assunto já superado. Não há resquício. O relacionamento com a Fifa igualmente vai muito bem".

Foi a primeira vez que CBF se manifestou oficialmente na Rússia desde o início da Copa. O futuro presidente da entidade se mostrou satisfeito com a vitória da seleção diante da Costa Rica, em São Petersburgo, por 2 a 0, nesta sexta-feira. Os gols da vitória foram feitos nos acréscimos dos jogo. "Ainda que difícil, foi uma vitória muito importante para a competição", afirmou Caboclo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.