Rubens Chiri/Estadão
Rubens Chiri/Estadão

'Aprendemos muito, mas não podemos carregar o peso de 2017', diz Marcos Guilherme

Para atacante, o São Paulo precisa evitar os traumas da última temporada para se manter focado nos novos objetivos

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

22 Janeiro 2018 | 18h31

O atacante Marcos Guilherme, do São Paulo, disse nessa segunda-feira que o mau início do time tricolor no Campeonato Paulista - sem vencer nas duas primeiras rodadas - não deve abrir margens para comparações com a temporada anterior, em que o clube do Morumbi sofreu eliminações consecutivas e lutou contra o rebaixamento no Braileirão.

Anderson Martins faz dupla de zaga com Rodrigo Caio em treino do São Paulo

"2017 já acabou. Estamos num ano novo, com novas expectativas. Aprendemos muito, mas não podemos carregar o peso de 2017 para este ano", disse Marcos Guilherme em entrevista coletiva no CT da Barra Funda.

O jogador exaltou o "peso" da camisa tricolor e reafirmou que o São Paulo espera lutar por títulos em 2018, e que confia no planejamento do clube. "O São Paulo sempre foi e é conhecido por ser um time vencedor. Esse período sem títulos abala todo mundo, mas temos que estar concentrados para mduar isso. Temos essa responsabilidade e sabemos do peso dessa camisa. O Paulista é uma grande oportunidade, estamos aqui para vencer."

Marcos Guilherme reconheceu que o planejamento do time para as primeiras rodadas posse sofrer alterações. O técnico Dorival Junior queria alternar duas equipes diferentes par evitar desgastes. Agora, a tendência é que a equipe que começa jogando quarta-feira contra o Mirassol, pela 3ª rodada do Estadual, tenha atletas das duas formações já utilizadas pelo treinador nas primeiras rodadas.

"Ele (Dorival) pode fazer algumas mudanças, mas quem sai sabe que vai ser importante para o restante da temporada. É difícil começar perdendo e empatando, claro que gostaríamos de ganhar, mas a equipe está tranquila e confiante daquilo que pode render", disse o atleta.

Na avaliação do atacante, o time só estará 100% entrosado para 2018 depois de uma sequência de jogos. "O planejamento era outro, agora pode mudar, mas o que precisamos é de ritmo de jogo. E vamos ter ritmo, jogando. Dorival sabe que quanto antes ele utilizar jogadores, mais rápido eles estarão mais entrosados."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.