Ricardo Duarte/ Internacional
Ricardo Duarte/ Internacional

Apresentado, Ceará promete ajudar Inter a resgatar 'fome de vitórias'

'Espero agora, obviamente, dar o retorno esperado por todos dentro e fora dos campos'

Estadão Conteúdo

18 Agosto 2016 | 13h27

Velho conhecido da torcida do Internacional, o lateral-direito Ceará precisou aguardar o fim de uma longa novela para ter o seu retorno ao clube gaúcho oficializado, o que ocorreu apenas nesta quinta-feira, quando ele também foi apresentado oficialmente por Newton Drummond, diretor executivo do clube.

Aos 36 anos, Ceará sabe que não vai contribuir para o elenco do Inter apenas dentro de campo, mas também com sua experiência para ajudar o time a superar o péssimo momento.

"Tanto o Inter quanto eu estamos muito felizes. Espero agora, obviamente, dar o retorno esperado por todos dentro e fora dos campos. Minha primeira preocupação é jogar. No vestiário também serei importante pela minha trajetória no clube", disse.

Com uma sequência de tropeços, o Inter está apenas em 15º lugar no Brasileirão, com 22 pontos, muito próximo da zona de rebaixamento. Ceará destacou que demonstrar espírito de luta é fundamental para o time reagir. "O foco é vencer as partidas, temos que ter fome de vitórias. As vitórias que farão a gente almejar coisas maiores", concluiu o reforço, que vai usar a camisa de número 3.

De volta ao Inter, o veterano lateral garante que não vai demorar a ser aproveitado pelo técnico Celso Roth, pois já vinha treinando nos últimos dias. "Estou treinando normalmente. Fiz quatro trabalhos físicos e ontem comecei a treinar com bola. Estou à disposição", afirmou.

Ceará esteve bem próximo de retornar ao Inter no início de agosto. Depois de o clube entrar em acordo com o Coritiba, o atleta realizou exames médicos naquele que seria seu novo time. Mas, por fim, acabou reprovado e a contratação foi descartada.

Contrariado com a desistência, o Coritiba pediu ao Inter que pagasse R$ 1 milhão pela contratação do lateral, alegando que já havia feito a rescisão do vínculo com Ceará e não queria aceitá-lo de volta. Duas semanas depois, enfim, a polêmica se encerrou com um desfecho favorável a todos os envolvidos.

Em sua primeira passagem pelo Inter, entre 2005 e 2007, Ceará conquistou a Copa Libertadores, a Recopa Sul-Americana e o Mundial de Clubes, este último após vencer o Barcelona, em partida em que o lateral se consagrou pela marcação implacável a Ronaldinho Gaúcho, principal estrela do adversário. Ele estava no Coritiba desde o início do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.