Sergio Peres/Reuters
Sergio Peres/Reuters

Apresentado no Atlético de Madrid, Morata tenta deixar para trás os dias no Real

Atacante pertence ao Chelsea e chega por empréstimo de 18 meses ao clube espanhol

Redação, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2019 | 16h25

O Atlético de Madrid fez o máximo para distanciar Álvaro Morata de seus dias no rival Real Madrid. O atacante recém-contratado foi oficialmente apresentado nesta terça-feira, com o clube mostrando um vídeo que incluía imagens do atacante usando a camisa do Atlético quando criança e adolescente.


O time assinou com Morata na segunda-feira, para um empréstimo de 18 meses junto ao Chelsea, o contratando para onde ele iniciou no futebol, nas divisões de base. Mas muitos torcedores do Atlético têm criticado a transferência por causa de seu passado com o Real Madrid. "O importante é que eu estou aqui", disse Morata. "Eu assinei com o Atlético e sinto que sou parte desse clube mais uma vez", acrescentou.

Morata, de 26 anos, atuou na base do Atlético antes de se juntar à academia do Real Madrid em 2008. Posteriormente, se tornou jogador do elenco principal do clube e o ajudou a ganhar dois títulos da Liga dos Campeões.


O Chelsea o contratou em 2017 por US$ 75 milhões (aproximadamente R$ 280 milhões, na cotação atual), mas Morata pouco produziu em campo desde então. "Houve muitas reviravoltas na minha vida, mas o destino queria que eu acabasse aqui. Eu não estaria aqui se não quisesse estar aqui", afirmou.


O Atlético visita o Betis no domingo e o próximo jogo do Campeonato Espanhol em casa será contra o Real Madrid, uma semana depois. No próximo mês, o time vai enfrentar a Juventus, onde Morata jogou por duas temporadas, nas oitavas de final da Liga dos Campeões.


Depois de ser perguntado sobre o que ele faria se marcasse contra seus ex-times, Morata disse apenas que isso seria um "bom problema". "Espero ter que pensar muito sobre isso, porque isso significaria que as coisas estão indo bem", disse.


Morata tem 82 gols e 37 assistências em sua carreira por clubes. Ele também soma 27 jogos e 13 gols pela Espanha. Um dos seus companheiros na seleção é Diego Costa, com quem deve competir por uma vaga de titular no time dirigido por Diego Simeone. "Eu considero Diego meu amigo. Eu não vejo porque não podemos jogar juntos. É sempre fácil quando você está jogando com grandes jogadores ao seu lado", comentou.

 

 

Mais conteúdo sobre:
futebolAtlético de Madrid

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.