Divulgação/Bahia
Divulgação/Bahia

Rodriguinho é apresentado no Bahia: 'Estou ansioso como um garoto de 18 anos'

Meia de 31 anos assinou contrato válido por dois anos e chegou ao clube cercado de festa e entusiasmo de dirigentes e torcedores

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2020 | 21h14

O meia Rodriguinho, aos 31 anos, sonha em honrar a camisa 10 do Bahia como fez em outros clubes, como o Corinthians. O jogador foi apresentado nesta segunda-feira, no Centro de Treinamento Evaristo de Macedo, em clima de muita festa, com música e entusiasmo dos dirigentes e torcedores, mas ciente da responsabilidade.

"Pela estrutura do Bahia, com grande poder econômico, eu imagino a cobrança da torcida em cima de um camisa 10. Estou ansioso como um garoto de 18 anos para jogar logo, porque estou motivado. Vou dar o meu melhor, porque sei da responsabilidade de vestir esta camisa e espero ver meu trabalhão respeitado por todos. Mas sei que precisarei da ajuda de todos meus companheiros, para atingir os objetivos do clube, que são as vitórias e a conquista de títulos" comentou o meia.

Ele assinou contrato de dois anos. O Bahia adquiriu 40% dos direitos econômicos, com 20% ficando ainda com o Cruzeiro e mais 40% com o próprio jogador. As pendências financeiras com o time mineiro com o jogador serão pagas em 2021. "O Cruzeiro está se reorganizando em todos os setores. Eles esperam voltar à elite nacional, daí vão ter um aporte financeiro bem grande. Entendemos a situação, mesmo porque o Rodriguinho não queria perder esta excelente oportunidade", afirmou o procurador de Rodriguinho, Luiz Paulo Santarelli.

Os valores da negociação, porém, não foram revelados. O que o novo reforço do Bahia fez questão de ressaltar foram os motivos que o levaram ao clube baiano. "Assinei um contrato de dois anos, com opção por mais um ano. É uma forma de me dar estabilidade para minha família e poder pensar, exclusivamente, em jogar futebol. Além disso, o clube já é o maior do Nordeste e tem um projeto ambicioso de crescimento e que, é claro, inclui a conquistas de títulos. Isso me empurrou para fechar o negócio logo. O time atual é muito competitivo e bem dirigido pelo Roger Machado", discursou.

Rodriguinho comentou ainda que já se sente em casa, mesmo porque já trabalhou com outros jogadores do atual elenco como Jadson, Clayson, Douglas e Juninho Capixaba. "Meus ex-companheiros vão ser meus companheiros de novo. Por isso, tenho certeza que minha adaptação vai ser rápida. Sei que o grupo é muito trabalhador, unido e está fechado com o treinador", disse o meia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.