Vítor Silva/SSPress/Botafogo
Vítor Silva/SSPress/Botafogo

Apresentado no Botafogo, Kieza prioriza Carioca e diz sonhar ser ídolo do clube

Atacante quer o alvinegro carioca focado no Estadual neste primeiro semestre

Estadão Conteúdo

31 Janeiro 2018 | 21h14

Filho de pai botafoguense, o centroavante Kieza foi apresentado no Botafogo nesta quarta-feira. Em suas primeiras palavras na entrevista coletiva, o jogador priorizou a conquista do Campeonato Carioca neste primeiro semestre e um bom desempenho no Campeonato Brasileiro que garanta uma vaga na Copa Libertadores de 2019. Além disso, afirmou que quer fazer história com a camisa alvinegra.

+ Kieza assina por dois anos com o Botafogo e diz que está realizando sonho do pai

"Espero grandes coisas para o Botafogo. Além de fazer muitos gols, quero conquistar títulos. Botar o Botafogo novamente na Libertadores. Quem não quer ser ídolo num clube maravilhoso como esse?", disse Kieza.

O centroavante chegou a um acordo com o clube carioca após longa negociação, que teve início em dezembro do ano passado. O acordo foi feito na sexta-feira passada, mas o jogador só assinou o contrato de duas temporadas e fez exames médicos na última segunda.

Ele já treinou com parte do elenco botafoguense no campo anexo do estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira e chega para disputar posição com o jovem Brenner, assunto sobre o qual falou na entrevista coletiva.

"Disputa sadia, acho que isso ocorre em todo clube, estou sempre preparado. Chego para somar e ajudar da melhor maneira possível. Fui muito bem recebido, ambiente muito agradável, o que é difícil de ver em outros clubes", afirmou.

No Rio de Janeiro, Kieza já defendeu as cores do Fluminense. Mas, segundo ele, sempre teve vontade de defender o clube de coração do pai, que ficou emocionado com a chegada do filho ao clube carioca. "Ele já sofreu muito, já chorou muito comigo devido aos jogos contra o Botafogo. Sempre fui feliz, fiz gols. Desde que comecei a jogar, sempre quis que eu jogasse no Botafogo. Eu falava que na hora que Deus desse a mão, isso ia acontecer", contou.

Kieza chega para solucionar uma dor de cabeça do técnico Felipe Conceição. Desde o afastamento de Roger por causa de um câncer no ano passado - posteriormente, o atacante deixaria o clube -, o Botafogo não tinha um homem de confiança para assumir a camisa 9. Brenner se tornou a única opção para atuar como centroavante e vinha sendo titular desde o ano passado, mas nunca conquistou a confiança da torcida.

Quarto reforço para a atual temporada - antes chegaram o meia Renatinho e os atacantes Luiz Fernando e Leandro Carvalho -, Kieza acumula passagens por grandes clubes do Brasil como Fluminense, Cruzeiro e São Paulo, mas não se firmou em nenhum destes. Seus melhores momentos foram no Nordeste, com as camisas de Náutico, Bahia e Vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.