Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Apresentado no Botafogo, Marcos Paquetá elogia grupo 'solidário e sem vaidade'

Novo treinador chega para ocupar o lugar deixado por Alberto Valentim

Estadão Conteúdo

28 Junho 2018 | 20h14

Marcos Paquetá já comandou dois treinos no Botafogo, mas foi apresentado oficialmente pela diretoria como novo comandante da equipe em entrevista coletiva nesta quinta-feira, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro. O técnico fez questão de elogiar o grupo de jogadores, que classificou de "solidário" e "sem vaidades".

+ Negociado, Keno dá adeus ao Palmeiras: 'Lembrarei sempre com carinho da torcida'

O treinador não trabalhava no Brasil desde 2004, quando deixou o Avaí para atuar no mundo árabe. O contrato com o clube carioca vai até 2019. Ele substitui Alberto Valentim, que deixou o time alvinegro na semana passada e acertou com o Al Ahram Pyramides FC, do Egito, onde está o atacante Keno, ex-Palmeiras.

Marcos Paquetá já teve contato com os atletas dentro e fora de campo. E exaltou as qualidades do elenco. "É muito tático, disciplinado taticamente. Me chamou atenção a determinação desses atletas, eles buscam o resultado. Eles procuram se fixar aos pontos fortes deles. O time joga com time, é solidário e não se entrega nunca. Isso vai muito de encontro com o que eu gosto. Gosto de times dinâmicos e que não têm vaidades", analisou o treinador ao acrescentar que conhecem bem os jogadores e o futebol brasileiro.

A missão do técnico é levar o Botafogo às primeiras posições do Campeonato Brasileiro e conquistar vaga para a Copa Libertadores do ano que vem. Atualmente a equipe está na nona posição, com 17 pontos, em 12 rodadas.

O time oscilou nesta primeira parte da competição antes da parada para a Copa do Mundo da Rússia. Mas está há quatro jogos se perder, com duas vitórias e dois empates. O que minimizou as críticas da torcida, mas a desconfiança continua. "Torcedor do Botafogo pode cobrar. Trabalho não vai faltar. A gente sabe que corremos riscos em todos os trabalhos. Não sou técnico de não correr riscos. Se você quer ser grande, tem que correr riscos", comentou Marcos Paquetá.

Ele afirmou ainda que nos dois treinamentos que comandou até agora já conseguiu introduzir um pouco de sua filosofia de trabalho, como "situação de jogo de transições" e "organização ofensiva e defensiva". "Tenho milhares de amigos e parentes botafoguenses. Botafogo é time de tradição. Só teve fera e craque, então eles ficam mal acostumados. Ou bem acostumados (risos). O momento do Botafogo não é das glórias que tínhamos, mas temos um elenco muito competitivo", completou Marcos Paquetá.

Na volta do Brasileirão, o Botafogo visita o Corinthians, na Arena Corinthians, em São Paulo, no dia 18 de julho, pela 13.ª rodada. A equipe também segue na disputa da Copa Sul-Americana no segundo semestre.

 

 

Mais conteúdo sobre:
futebol Botafogo Marcos Paquetá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.