Marco Ugarte/AP<br>
Marco Ugarte/AP<br>

Apresentado no México, Ronaldinho diz que não mudará o estilo de vida

Apresentado no Querétaro, jogador garante que manterá a vida que leva fora dos gramados, mas que isso não vai interferir nos jogos

Estadão Conteúdo

12 Setembro 2014 | 14h05

Apresentado oficialmente nesta sexta-feira como reforço do Querétaro, Ronaldinho Gaúcho afirmou que não pensa em mudar o seu estilo de vida fora dos gramados, mas garantiu que isso não o impedirá de lutar para agregar mais títulos ao seu glorioso currículo, agora no futebol mexicano.

Contratado na semana passada, Ronaldinho já venceu a Copa do Mundo pela seleção brasileira, a Liga dos Campeões da Europa e o Campeonato Espanhol pelo Barcelona e a Copa Libertadores pelo Atlético Mineiro, seu último clube. Porém, também tem fama de abusar das festas fora dos gramados.

Com 34 anos e na reta final da sua carreira, Ronaldinho não acredita que este seja o momento para mudar o seu estilo. "Sempre vivi da mesma forma e em todos os times que passei fui campeão", disse Ronaldinho, em entrevista coletiva na Cidade do México. "Espero viver da mesma maneira e continuar saindo campeão".

Fora do Atlético-MG desde o final de julho, Ronaldinho estava sem clube até fechar a sua ida ao Querétaro apenas na semana passada. O time não é um dos mais tradicionais do futebol mexicano, mas possui grandes aspirações após ser adquirido pelo Grupo Imagen, em maio passado.

"Me falta ganhar alguma coisa no México, eu vim para isso e vou lutar para ajudar a minha equipe a ganhar alguma coisa", disse Ronaldinho. "Eu me sinto como um jovem que está começando novamente, com um novo sonho, quero fazer história com este clube e estou muito motivado".

Ronaldinho, duas vezes eleito o melhor jogador do mundo, teve uma brilhante passagem de cinco anos pelo Barcelona, com um título da Liga dos Campeões e dois do Campeonato Espanhol. E além de ter vencido a Copa do Mundo de 2002 pela seleção brasileira, também participou do torneio de 2006.

Por tudo isso, sua contratação vem sendo considerada a maior da história do futebol mexicano, superando a chegada de nomes como Emilio Butragueño, Pep Guardiola, Bebeto, Iván Zamorano, Gregorz Lato e Bernd Schuster, que, assim como Ronaldinho, atuaram no país nos últimos anos da sua carreira.

"Conheço bem o futebol mexicano, meu irmão jogou aqui e tenho amigos que jogaram e jogam aqui. Decidi vir porque meu irmão falou com o presidente, me senti à vontade e porque acho que posso fazer algo grande", acrescentou. "Eu tinha a oportunidade de estar em vários times do mundo, mas o Querétaro me conquistou e sempre quis viver aqui, por isso, estou aqui para continuar a minha história no México".

O Querétaro enfrenta nesta sexta-feira o Puebla e Ronaldinho, de fora do jogo, será apresentado ao torcedor do clube no intervalo. "Estou chegando agora, estou bem fisicamente, mas hoje não devo jogar. Dentro de alguns dias, posso fazer parte do grupo e se o treinador decidir, posso jogar imediatamente", afirmou o reforço do Querétaro, o oitavo colocado do Torneio Apertura do futebol mexicano.

Mais conteúdo sobre:
futinter Querétaro Ronaldinho Gaúcho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.