Ciro Campos/Estadão
Ciro Campos/Estadão

Apresentado no Palmeiras, Scarpa justifica escolha: 'Desejo antigo'

Meia deixa de lado propostas de São Paulo e Corinthians para reforçar clube que escolheu motivado pela boa estrutura de trabalho

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2018 | 16h01

O jogador mais desejado pelos clubes brasileiros nesta janela de transferências vestiu nesta sexta-feira a camisa do novo clube. O meia Gustavo Scarpa usará o uniforme de número 14 no Palmeiras e na entrevista coletiva concedida na Academia de Futebol, contou os motivos que o levaram a preterir times como Corinthians, São Paulo e Atlético-MG para fechar com o alviverde. A estrutura e a vontade antiga de defender a equipe foram decisivos.

+ Palmeiras deve ter time modificado para domingo

+ Roger Machado aposta em sucesso de Lucas Lima

"O Palmeiras é um desejo antigo deles e meu também. Eles fizeram um grande esforço para me trazer em outras duas oportunidades. Não foi possível concretrizar. Mas assim que apareceu a real chance, quis vir", disse. O meia de 24 anos assinou contrato com o Palmeiras por cinco temporadas. Gustavo Scarpa estreou pela equipe profissional do Fluminense em 2014. O jogador foi o líder de assistências do Campeonato Brasileiro de 2016 ao lado do palmeirense Dudu, ambos com dez, e também dominou a lista do fundamento em 2017, com 12 passes diretos para gol. 

Scarpa revelou que a aproximação com o Palmeiras iniciou em 2015. O desejo em vir foi alimentado pela boa reputação do clube. "Sem dúvida a estrutura do Palmeiras, o peso da camisa e o esforço que todos fizeram para eu estar aqui foram importantes", afirmou. "Quando joguei contra o Palmeiras, sentia o peso da torcida no Allianz. Todos os jogadores conversam entre si e acabam mencionando a estrutura dos lugares. A do Palmeiras é impressionante. Superou minhas expectativas", comentou.

Para chegar ao Palmeiras o meia precisou passar por uma briga na Justiça com o Fluminense. Scarpa cobrava cerca de R$ 9 milhões por atrasos salariais, direitos de imagem, FGTS e outras pendências. Uma liminar concedida na última semana liberou o jogador para rescindir contrato. Depois disso, o clube paulista venceu a concorrência com São Paulo, Corinthians, Flamengo e Atlético-MG para fechar o vínculo.

O meia evitou criticar o clube, mas deixou evidente a insatisfação com os dirigentes. "Não chego a dizer que ficar lá seria uma fria. Quando estava negociando com o Palmeiras, alguns jogadores não estavam querendo ir para o Fluminense em troca. Até me perguntaram se eu fiquei bravo com isso. Eu disse que não, porque eu entendia a decisão deles", disse Scarpa em referência à troca frustrada por Hyoran e Róger Guedes.

O jogador começou a treinar na Academia de Futebol na terça-feira, com trabalho físicos separados do restante do elenco. A batalha judicial com o Fluminense atrapalhou a pré-temporada do meia, que apesar de ter realizado exercícios sob a supervisão de um preparador, apresentou-se ao clube com a necessidade de mais alguns dias de atividade para poder estrear.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.