Divulgação
Divulgação

Apresentado no Santos, Leandro vai enfrentar nova concorrência

Geuvânio, Gabriel e Ricardo Oliveira são os titulares

GONÇALO JUNIOR, O Estado de S. Paulo

04 Agosto 2015 | 12h25

Em sua apresentação como novo reforço do Santos por empréstimo até o mês de dezembro, o atacante Leandro lamentou a falta de oportunidades no Palmeiras, clube que ainda detém seus direitos econômicos, e comentou sobre as críticas que sofreu. "Eu via muita pessoa falando que eu não jogava com vontade. Essa parte da crítica, no meu ponto de vista, é injusta. Ninguém entra em campo sem vontade. Todo mundo entra querendo vencer. Quando o jogador não vai bem, faz parte do futebol.  ", afirmou o jogador em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira no CT Rei Pelé.

O atacante lamentou o tempo que perdeu no Palmeiras para se recuperar do edema ósseo no pé esquerdo que o afastou da reta final da última temporada e no início de 2015. 

"A lesão, sem dúvida, prejudicou bastante. Foi constatada em novembro, conversada com o departamento médico para não operarmos. Mas, quando voltei em janeiro desse ano, fiz outro exame e decidiram operar. Perdi dois meses que poderia ter operado, voltar treinando bem com o grupo. Faz parte, serve de aprendizado. Estou recuperado e bem."

Leandro confessou surpresa com o contato direto feito pelo técnico Dorival Júnior pedindo sua contratação - os dois trabalharam juntos no próprio Palmeiras. "Não esperava, fiquei surpreso e feliz. Ele confia no meu trabalho, no meu futebol e espero poder corresponder dentro de campo", disse o jogador.

Escolhido para vestir a camisa 7, a mesma que era de Robinho, Leandro afirma preparado para a concorrência. Geuvânio, Gabriel e Ricardo Oliveira são os titulares. No Palmeiras, o técnico Marcelo Oliveira tem dez opções de atacantes. "A concorrência sempre vai ser forte, independente da quantidade. Estamos falando de equipes grandes. Os atacantes que os dois times tem são de grande qualidade. A concorrência vai ser muito grande pela qualidade de cada um", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.