Rubens Chiri/ saopaulofc.net
Rubens Chiri/ saopaulofc.net

Apresentado no São Paulo, William afirma ter superado problemas cardíacos do início de carreira

Reforço de 34 anos promete disposição para brigar pelo posto de titular no meio-campo do time do Morumbi

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2021 | 20h16

O São Paulo apresentou nesta quinta-feira o quinto reforço trazido para a temporada 2021. O meia William, de 34 anos, retorna ao futebol brasileiro após um período de sete anos no México. Na primeira entrevista coletiva como atleta do time, o jogador afirmou que apesar da experiência, se sente como um novato pela disposição em demonstrar serviço e negou ter novos problemas cardíacos.

William assinou contrato até o fim da temporada, com opção de renovar por mais um ano. O meia admite que não chega ao clube com o status de titular e terá de disputar vaga com outros colegas. "Eu chego para brigar por posição, não venho como titular absoluto", afirmou. O meia iniciou a carreira no Palmeiras, quando acabou afastado por ter problemas no coração.

Essa situação médica está superada, segundo o jogador. "É um problema superado, foram momentos difíceis e complicados. São desafios que a vida nos coloca. Sempre que me apresento (nos novos clubes), faço bateria de exames, e fui aprovado mais uma vez para seguir trabalhando", explicou. William vem de uma passagem vitoriosa no futebol mexicano, onde chegou a atuar como companheiro do goleiro Tiago Volpi e de Ronaldinho no Querétaro.

"Eu estava no futebol mexicano há sete anos, bem adaptado, mas quando apareceu a oportunidade de defender o São Paulo não podia deixar passar. A grandeza do clube foi decisiva. O time está sendo montado para brigar por coisas importantes, e este é o meu objetivo aqui", disse William. Antes dele, o São Paulo anunciou as contratações do zagueiro Miranda, do lateral Orejuela e dos atacantes Eder e Bruno Rodrigues.

O novato contou que foi bem recebido no São Paulo e admite que terá fortes concorrentes pela vaga no time. "Tem o Dani (Alves), tem o Luan, Liziero, Rodrigo Nestor, Tchê Tchê, são muitos jogadores nessa posição (no meio-campo). Primeiro tenho de vencer a mim mesmo, sair de casa com a determinação de me superar. É uma competição saudável, o elenco me recebeu bem", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.