Divulgação
Divulgação

Pjanic usará 5 de Zidane na Juventus e evita comparações com Pirlo

Atleta revoltou a torcida da Roma ao anunciar a transferência para o rival

Estadão Conteúdo

12 de julho de 2016 | 11h57

A contratação de Miralem Pjanic pela Juventus movimentou a Itália, afinal, o clube de Turim se reforçou simplesmente com o destaque da Roma na última temporada. Tentando se manter alheio aos protestos dos torcedores do seu antigo clube, o meio-campista bósnio foi apresentado nesta terça-feira como novo reforço da Juventus com uma entrevista coletiva cheia de referências a ídolos do passado.

Entre eles, Zinedine Zidane, que foi a inspiração de Pjanic para a escolha da camisa que vestirá na Juventus, a de número 5. "No ano passado eu usei a 15 (é de Andrea Barzagli), mas aqui ele já está indisponível, Então usarei a 5. Meu ídolo Zidane a utilizou em sua carreira e eu vou ser feliz por fazer o mesmo", afirmou sobre o francês, que atuou pelo clube de Turim entre 1996 e 2001.

Pjanic também ouviu comparações a Andrea Pirlo, que defendeu a Juventus entre 2011 e 2015, antes de se transferir ao futebol dos Estados Unidos. O bósnio exaltou o veterano italiano, mas avaliou que eles possuem estilos diferentes. "Estou lisonjeado, mas acho que nosso jogo é um pouco diferente", comentou.

Após passar cinco temporadas na Roma, Pjanic admitiu que não deverá ter uma boa recepção quando voltar ao Estádio Olímpico como um jogador da Juventus, que desembolsou 32 milhões de euros (aproximadamente R$ 116 milhões) para contratá-lo.

"Eu vou estar feliz, porque é onde eu passei cinco anos maravilhosos, para mim será um jogo especial. Não foi fácil sair da Roma e teria sido o mesmo em qualquer equipe que eu estive, mas estou convencido de que estou no caminho certo", disse.

Antes de se transferir ao futebol italiano, Pjanic também atuou no futebol francês, por Metz e Lyon, onde jogou ao lado de Juninho Pernambucano, um conhecido especialista em cobranças de falta. E o bósnio garantiu ter aprendido muito com o brasileiro.

"Eu treinei com um especialista, como Juninho, no Lyon, mas cada jogador tem uma técnica diferente. Eu estou aperfeiçoando a minha, tentando ser tão perigoso quanto possível, porque às vezes os jogos são decididos com bolas paradas", disse o bósnio, que assinou um contrato válido até 2021.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.