Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Léo Artur e Ewandro querem ajudar logo Fernando Diniz no Fluminense

Dupla foi apresentada oficialmente pelo clube das Laranjeiras nesta segunda-feira

Redação, Estadão Conteúdo

15 de abril de 2019 | 18h12

O Fluminense apresentou nesta segunda-feira mais dois reforços para a sequência da temporada, que ainda terá Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana. No CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, chegaram o meia Léo Artur, ex-Ferroviária, de Araraquara (SP), e o atacante Ewandro, que está no Austria Viena, da Áustria.

"Sensação de felicidade, de poder estar aqui em um clube com a grandeza do Fluminense. Estou bastante feliz", disse Léo Artur, de 23 anos, que chega por empréstimo até o final desta temporada, após bom desempenho no Campeonato Paulista.

"Sou um jogador bastante versátil. Onde me colocar, estou jogando. O Diniz (Fernando, técnico) já me conhece, sabe a maneira que eu jogo, chego bastante ao ataque, finalizo bem, mas sou um jogador de meio-campo mesmo, de armação", disse o meia, que falou sobre a experiência de já ter trabalhado com o atual treinador tricolor no Audax, de São Paulo.

"Fica um pouco mais fácil por já conhecer a maneira que ele quer jogar, de como ajudar os companheiros, de já ter lidado com ele. Tem muita coisa para contar de ter jogado com ele, tenho bastante coisa boa, muita convivência. Passei momentos que foram muito difíceis, mas ele ajudou bastante na minha vida pessoal, não só como jogador, mas como pessoa, ele me reestruturou novamente", disse Lé Artur, referindo-se à perda do filho de dois anos em 2016.

Ewandro, que também atuou pelo Athetico-PR, assinou contrato até o final deste ano e projetou uma futura parceria com Pedro. "Feliz por ele, esperamos que a volta dele esteja próxima e que ele ajude nossa equipe. Que eu também possa ajudar, todo mundo junto fazendo um bom trabalho pelo Fluminense", disse o atacante, que também tem 23 anos.

"O Fluminense é um time muito grande e minha vinda para cá foi excepcional. Queria muito voltar ao Brasil e o Fluminense me deu essa oportunidade. Estou muito feliz com isso", afirmou o jogador, que revelou a dificuldade para se adaptar ao futebol austríaco.

"É um futebol completamente diferente do Brasil, sofri muito para me adaptar, aprender a língua e só depois, consegui uma oportunidade. Não sei se a adaptação pode ser rápida ou longa, mas vou procurar nos treinamentos fazer o melhor para estar adaptado o mais rápido possível e ficar à disposição", disse o jogador.

O time do Fluminense volta a jogar nesta quarta-feira, quando vai enfrentar o Santa Cruz, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pelo jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil. A volta será no próximo dia 25, uma quinta, no estádio do Arruda, no Recife.

Mais conteúdo sobre:
Fluminensefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.