Aranha não quer se encontrar com menina que o xingou

Patrícia Moreira pediu desculpas ao jogador pelas ofensas racistas e disse que gostaria de falar isso pessoalmente ao jogador do Santos

O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2014 | 18h49

Pelo menos por enquanto, o goleiro Aranha não tem o menor interesse em perdoar e se encontrar com a gremista que o chamou de 'macaco' na partida do dia 28 em Porto Alegre. A resposta do jogador, por meio da assessoria do Santos, ocorreu porque Patrícia Moreira, de 23 anos, disse nesta sexta-feira que gostaria de se desculpar pessoalmente com o jogador. A garota, em entrevista, também pediu perdão ao Grêmio, excluído por sua causa da Copa do Brasil.

"O goleiro Aranha entende que não seja necessário tal encontro. Neste momento, a preocupação do camisa 1 do Santos é de que os responsáveis pelo ato racista sejam investigados e que respondam pelo ocorrido no último dia 28. Ele espera também que tal repercussão do caso sirva de lição para as praças esportivas e para a sociedade em um todo", informou o clube por meio de seus assessores.

Desde a repercussão do episódio, o jogador santista tem sido protegido pelo clube para que não perca o foco em seu trabalho. Aranha tem a missão de levar seu time para posições mais confortáveis no Campeonato Brasileiro. O Santos, após a exclusão do Grêmio, ficou com a vaga das quartas de final na Copa do Brasil.

Na manhã desta sexta-feira, Patrícia Moreira e se seu advogado pediram desculpas ao jogador santista. Ela disse que jamais quis ofender o jogador negro com ofensas racistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.