Thais Magalhães/ CBF
Thais Magalhães/ CBF

Arara pousa em zagueira da seleção e interrompe jogo-treino na Granja Comary

Ave ganhou o apelido de Pelé e costuma frequentar o centro de treinamento em Teresópolis, no Rio

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2020 | 20h14

Uma arara-azul acabou interrompendo o jogo-treino da seleção feminina neste sábado, 19, na Granja Comary, em Teresópolis, no Rio de Janeiro. A ave pousou na cabeça da zagueira Bruna Benites e roubou a cena durante a atividade das jogadoras. 

Para Bruna, o pouso da arara é sinônimo de sorte. "Eu estava no meio do campo, a gente estava com a bola atacando e eu olhei pra frente e vi que ela estava vindo na minha direção. Eu só virei de costas e achei que ela fosse passar. Mas aí percebi que pousou no meu ombro, e como eu sabia que ela era mansa e tranquila, fiquei quieta parada ali", conta a atleta.

"Porém eu não imaginava que ela ia subir na minha cabeça, o Fabinho (preparador físico) ficou falando que ia tirar e eu fiquei parada. Ela me apertou um pouco e subiu para a minha cabeça, mas fiquei tranquila. Ela aparece com frequência por aqui, mas acredito que pousar em alguém seja a primeira vez. Isso significa sorte, foi uma cena muito legal. É um privilégio, vou jogar na loteria", brinca a jogadora.

A cena acabou despertando a curiosidade até da técnica Pia Sundhage e da auxiliar Lilie Persson, já que as suecas não estão acostumadas a ver araras. "Há coisas que só acontecem no Brasil", disse Persson.

Após a cena, a arara-azul chegou até a ganhar o apelido de Pelé pelos funcionários da Granja Comary. Agora, ela costuma frequentar o centro de treinamento da seleção e geralmente aparece em imagens feitas no campo. De acordo com a CBF, "a ave gosta de ficar próxima às traves dos gols e admirar os treinamentos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.