Divulgação/Guarani-VA
Divulgação/Guarani-VA

Árbitro agredido com chute na cabeça em jogo no RS pode fazer cirurgia; ele ficará afastado 90 dias

Rodrigo Crivellaro realizou uma série de exames em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, para saber a extensão das lesões e aguarda resultados e necessidade de novos procedimentos médicos

Redação, Estadão Conteúdo

08 de outubro de 2021 | 09h52

O árbitro Rodrigo Crivellaro Dias da Costa, agredido em uma partida da Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho entre Guarani e São Paulo, em Venâncio Aires, no Rio Grande do Sul, na última segunda-feira, pode precisar de uma cirurgia. Ele também ficará pelo menos três meses afastado do trabalho, independentemente da possível intervenção médica.

De acordo com o próprio árbitro, ele realizou uma série de exames em Santa Maria, no interior gaúcho, cidade onde mora, para saber a extensão das lesões. A cirurgia estava definida para esta quinta-feira, mas agora a equipe aguardará uma semana para saber se o procedimento será mesmo necessário. Crivellaro teve uma lesão ligamentar na vértebra C6. Assim, terá de utilizar o colete cervical e fazer exames de raio X semanalmente. Por conta dos movimentos, pode haver deslocamento da vértebra e, com isso, a necessidade da cirurgia. O procedimento, no entanto, é simples.

"Acabei de ir ao médico, fiz uma ressonância, estou com uma lesão na C6 ali na cervical, na vértebra 6, uma lesão ligamentar. Vou ter de usar esse colar durante 90 dias, em casa, sem trabalhar. Se por acaso ocorrer um deslizamento das vértebras, vou ter de fazer cirurgia. Espero que não, mas se tiver de fazer vai ser bem simples, segundo os médicos", afirmou Crivellaro em entrevista à TV Globo.

O árbitro foi agredido com um chute na cabeça pelo jogador William Ribeiro, do São Paulo, de Rio Grande (RS), no confronto do time contra o Guarani, na última segunda-feira. Ele ficou desacordado e precisou ser encaminhado ao hospital, de onde teve alta no dia seguinte. Já o atleta William Ribeiro foi preso em flagrante pela Brigada Militar e encaminhado a um presídio, onde passou a noite e foi liberado no dia seguinte. Ele irá responder em liberdade e pode ser indiciado por tentativa de homicídio. O São Paulo-RS rescindiu o contrato com o jogador.

O caso

A agressão ocorreu na noite de segunda-feira, 4, aos 14 minutos do segundo tempo, no Estádio Edmundo Feix, em Venâncio Aires, três minutos depois de o Guarani, time local, abrir o placar. O jogo era válido pela antepenúltima rodada da fase inicial do Campeonato Gaúcho da segunda divisão.

Após receber um cartão amarelo por reclamação, Willian se dirigiu ao árbitro Rodrigo Crivellaro e desferiu um soco. Ao cair, o atleta chutou a nuca do juiz, enquanto estava caído no chão. Desacordado, os jogadores de Guarani e São Paulo-RS chamaram com urgência o médico e a ambulância. Willian foi levado ao vestiário e cerca de 30 minutos depois foi conduzido pela polícia à delegacia.

No dia 5 de outubro, a juíza Cristina Junqueira, da Comarca de Venâncio Aires, concedeu liberdade provisória par ao atleta. Na audiência de custódia que definiu a soltura do jogador, o promotor de Justiça, Pedro Rui da Fontoura Porto, pediu o seguimento da detenção, entendendo que o ato foi considerado grave já que houve, segundo as autoridades, tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil.

Histórico de violência

Aos 30 anos, Willian Ribeiro estava em sua terceira passagem pelo São Paulo-RS, mas o clube do Rio Grande do Sul rescindiu imediatamente o contrato do jogador e condenou a agressão ao árbitro nas redes sociais. Seu histórico em relação a casos de violência vem de longa data.

Há sete anos, quando ainda integrava o elenco do Guarani de Venâncio Aires, Willian deu um soco em um atleta do Pelotas e foi expulso. Em 2021, o meia, que também atua como atacante, agrediu um torcedor na partida contra a Lajeadense. Detalhe que o jogador nem havia sido relacionado para aquele confronto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.