Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Árbitro ajuda e Corinthians bate Botafogo com gol aos 49

Marcelo Alfieri anota dois pênaltis duvidosos contra o Botafogo, cobrados com perfeição por Fábio Santos nos 2 a 1 no Itaquerão

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2015 | 19h13

Com dois pênaltis polêmicos, ambos cobrados com perfeição por Fábio Santos, o Corinthians ganhou de 2 a 1 do Botafogo em uma partida marcada por erros de arbitragem e pela estreia do atacante Vagner Love, que entrou no segundo tempo e saiu de campo rouco de tanto gritar para a Fiel incentivar o time. A vitória deixa o Corinthians em boa situação para poder se concentrar no clássico de quarta contra o São Paulo pela Libertadores.

Empurrado pela torcida em ritmo de carnaval, o Corinthians partiu para cima desde o primeiro minuto, com intensidade e usando a velocidade de Mendoza. Logo de cara o colombiano teve duas boas chances, mas acabou desperdiçando. Pouco depois, em cobrança de escanteio, Edu Dracena mandou de cabeça no travessão.

O Botafogo, que a estava invicto no Campeonato Paulista, parecia assustado e quase não conseguia passar do meio de campo. O time de Ribeirão Preto mantinha apenas Giancarlo na frente, congestionava o meio com cinco homens, formava uma linha de quatro defensores, e mesmo assim sofria uma pressão incrível – tanto que o goleiro Walter praticamente não trabalhava.

Mesmo com muita gente na defesa, a equipe do interior não conseguia acertar a marcação, principalmente dos volantes do Corinthians, que a todo momento entravam em boas condições na área. Foi assim com Bruno Henrique e Petros. Atordoado, o Botafogo parecia hipnotizado e se virava como podia. Também contava com a sorte, porque o Corinthians errava muito o último passe. Faltava alguém para organizar o jogo e colocar a bola no chão. Aos 29, por exemplo, Edílson atacou pela direita e bateu forte. A bola foi em direção a Petros, que quase em cima da linha afastou o perigo em vez de mandar para as redes.

A superioridade do Corinthians era tanta que o gol parecia questão de tempo. Mas ele chegou de uma maneira equivocada. Em um cruzamento na área, o juiz marcou pênalti inexistente em Guerrero. De nada adiantou a indignação dos jogadores do Botafogo. Fábio Santos bateu com categoria e abriu o placar.

No segundo tempo, logo no primeiro minuto, o Botafogo conseguiu o empate em uma jogada inusitada. Depois de uma cobrança de lateral, a defesa não conseguiu afastar a bola e Rodrigo ficou livre no segundo pau para marcar seu quarto gol no Paulistão. A partir daí, os erros dos donos da casa ficaram mais evidentes.

Com a igualdade em casa, o técnico Tite mexeu na equipe, colocando Jadson, Malcom e o estreante Vagner Love. O time pressionou, mas também deu espaço nos contra-ataques para o adversário. 

Os jogadores ainda erravam muito e, na frente do gol, passavam a bola de um lado para o outro e ninguém chutava. Só que no final da partida, já nos acréscimos, o árbitro marcou mais um pênalti sobre Guerrero. Fábio Santos cobrou bem mais uma vez e deu a vitória merecida para o Corinthians, que agora volta às atenções para o São Paulo.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 X 1 BOTAFOGO

CORINTHIANS - Walter; Edílson (Jadson), Yago, Edu Dracena e Fábio Santos; Cristian, Bruno Henrique e Petros; Luciano (Vagner Love), Guerrero e Mendoza (Malcom). Técnico: Tite.

BOTAFOGO - Renan Rocha; Gimenez, Eli Sabiá, Halisson e Denis (Bruno Costa); André Rocha, Luciano Sorriso, Zé Roberto (André Santos), Rodrigo e Wesley; Giancarlo (Isaac). Técnico: Alexandre Ferreira. 

GOLS - Fábio Santos, aos 42 minutos do primeiro tempo e aos 49 do segundo; Rodrigo, a 1 minuto do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marcelo Pietro Alfieri.

CARTÕES AMARELOS - Edu Dracena, Yago, Cristian, Fábio Santos, Edilson, Eli Sabiá, Luciano Sorriso, André Rocha, André Santos, Bruno Costa e Renan Rocha.

RENDA - R$ 1.203.003,70.

PÚBLICO - 27.060 pagantes. 

LOCAL - Itaquerão, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.