Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Árbitro 'brigão' vai apitar Boca Juniors x Palmeiras na Argentina

Chileno Roberto Tobar, árbitro da partida desta noite, já foi acusado de ameaçar bater em jogadores

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2018 | 05h02

A Conmebol definiu que Roberto Tobar será o árbitro da partida Boca Juniors x Palmeiras. O chileno é bem conhecido dos dois clubes. Ele apitou o duelo realizado na Argentina na fase de grupos (vencido pelo time alviverde por 2 a 0). Entretanto, Tobar ficou marcado por ser acusado de chamar jogadores para a briga em pelo menos duas oportunidades.

Uma delas envolve um time brasileiro. Em 2016, The Strongest e São Paulo se enfrentaram pela Copa Libertadores e, após o empate por 1 a 1, os bolivianos saíram de campo revoltados, acusando o árbitro de desafiá-los para uma briga dentro do túnel que dá acesso ao vestiário. No mesmo ano, nova acusação feita por atletas: na partida entre Deportes Iquique e Unión Española, pelo Campeonato Chileno, Tobar teria xingado e ameaçado bater em Mathías Riquero, do Iquique. Segundo o meia, o árbitro disse que iria “pegá-lo” fora de campo e que lhe daria uma lição. 

No jogo entre The Strongest e São Paulo, o árbitro também tirou os brasileiros do sério ao expulsar o atacante Calleri, após uma confusão com jogadores adversários em que o atacante do Tricolor foi agredido com socos e pontapés. Mas Tobar decidiu dar cartão vermelho para o argentino.

Embora seja apontado como o melhor árbitro chileno da atualidade, Tobar também é alvo de críticas em seu país. No dia 15 de abril, ele apitou o clássico entre Universidad de Chile e Colo-Colo e expulsou Beausejour, Reyes e Opazo. 

“O jogo passou pela falta de personalidade do árbitro. Faltou a ele coragem para expulsar o Valdivia (ex-jogador do Palmeiras), por tê-lo aplaudido. Depois, o Pinilla levou um chute, ele não deu nada e ainda só expulsou o Beausejour após ver que ele tirou sangue de outro jogador”, criticou o goleiro Herrera, capitão da La U. 

Opazo, um dos expulsos, também contestou o árbitro. “Perguntei a ele o motivo de ter me expulsado e ele não soube responder. Reyes me deu uma cotovelada e, talvez, o árbitro tenha me expulsado para compensar. Lamentável”, ironizou o jogador do Colo-Colo.

As diversas histórias polêmicas não impedem que Tobar seja considerado pela Conmebol como um dos mais importantes árbitros do continente. Ele tem categoria Fifa desde 2011. Seu primeiro jogo internacional foi Atlético-MG x Zamora, pela Copa Sul-Americana.

Na partida entre Palmeiras e Boca Juniors pela fase de grupos, o time argentino chegou a fazer um gol, anulado corretamente por impedimento.

Antes dos jogos das semifinais, a Conmebol reuniu os presidentes dos quatro clubes envolvidos na disputa para explicar as aplicações do VAR (árbitro de vídeo) e assim tentar evitar erros de interpretação sobre o momento de utilização da ferramenta. O temor da entidade é que os atletas possam, de alguma forma, incitar a torcida contra os juízes e criar um ambiente hostil nas partidas. 

Os representantes da Conmebol também pediram aos dirigentes que pedissem aos seus atletas para que respeitem a decisão dos árbitros, evitem reclamações acintosas e entendam o processo de utilização do VAR.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.