Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Árbitro da final sofre críticas de palmeirenses e santistas

Juiz chega a expulsar jogador errado durante a partida

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

26 de abril de 2015 | 19h20

O árbitro Vinícius Furlan teve uma atuação confusa na vitória do Palmeiras sobre o Santos por 1 a 0, neste domingo, no estádio Allianz Parque, na primeira final do Campeonato Paulista. Ele chegou a expulsar o jogador errado e colocou para fora os dois treinadores - Oswaldo de Oliveira e Marcelo Fernandes - no intervalo do jogo, mostrando excesso de rigor.

O lance mais flagrante foi aos 11 minutos do segundo tempo. Após disputa de bola em velocidade entre o zagueiro Paulo Ricardo e o atacante Leandro, os dois caíram na área. O árbitro assinalou a penalidade, mas errou na hora de aplicar o cartão vermelho, expulsando David Braz, que não participara do lance. O santista ficou alucinado com o equívoco.

Alertado pelo quarto árbitro, Guilherme Ceretta de Lima, o árbitro voltou atrás, fez o gesto de "apagar" o cartão para David Braz, conferiu o número da camisa de Paulo Ricardo e, aí sim, expulsou o jogador certo. Ao todo foram distribuídos seis cartões no jogo (um vermelho).

No retorno dos dois times após o intervalo, o árbitro expulsou os dois treinadores. A justificativa foi uma invasão dos dois no gramado após o final do primeiro tempo. "Entrei no campo para tirar meus jogadores", defendeu-se Oswaldo de Oliveira. "Não sei se ele foi rigoroso. Foi o ponto de vista dele", disse o palmeirense.

O santista confessou que não conhecia a regra. "Não sei se isso (entrar no gramado) é para penalidade de expulsão. Se for, minha expulsão está correta", disse Marcelo Fernandes. Os palmeirenses também reclamaram de um pênalti de Geuvânio em Rafael Marques no primeiro tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.