Ivan Storti/SFC
Ivan Storti/SFC

Árbitro de vídeo diz que Marinho sofreu 'toque de futebol' na Bombonera

Atacante do Santos recebeu uma trombada de Izquierdoz dentro da área, mas juiz não foi chamado para rever o lance no monitor

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de janeiro de 2021 | 12h10

A Conmebol divulgou nesta quinta-feira o diálogo entre o árbitro Roberto Tobar e a cabine do VAR durante a partida entre Boca Juniors e Santos, que terminou empatada sem gols. Aos 29 minutos do segundo tempo, Marinho recebeu na área, levou uma trombada de Izquierdoz e reclamou de pênalti. O árbitro Roberto Tobar, porém, nem sequer foi chamado pelo árbitro de vídeo Juan Benitez para rever o lance no monitor.

No vídeo divulgado pela Conmebol, Juan Benitez diz para Roberto Tobar seguir o lance e justifica. "Toque de futebol". A cabine do VAR analisa a jogada por pouco mais de um minuto (veja no vídeo abaixo).

Após a partida na Bombonera, Marinho reclamou de pênalti na saída do gramado. "Fui tocado dentro da área. Não sei por que árbitro não foi olhar o vídeo. Tranquilo, o importante é conseguir um resultado aqui. Poderíamos ter vencido, mas jogar contra o Boca é muito difícil. O importante é não perder. Fizemos grande jogo, queríamos a vitória, mas o empate é bom resultado e temos que fazer um grande jogo em casa", disse o atacante ao canal Fox Sports.

O técnico Cuca também achou que o pênalti deveria ter sido marcado para o Santos. "Tivemos um lance decisivo, que foi o pênalti não marcado. Marinho sofre o pênalti no alto e no chão. Poderia ter decidido a partida a nosso favor".

Ainda na noite de quarta, logo após a partida, o Santos informou que "enviará ofício à Conmebol para externar sua insatisfação com a atuação do VAR no jogo contra o Boca Juniors neste dia 6 de janeiro em La Bombonera, na Argentina". O comunicado também fala em "estranheza pela não verificação do VAR à beira do campo, no lance que Marinho foi derrubado dentro da área adversária no segundo tempo."

A Conmebol tem divulgado o diálogo dos árbitros em lances que geram polêmica nos dias seguintes às partidas. No duelo entre Boca e Santos, por exemplo, houve ainda um lance de possível toque no braço, mas a cabine do VAR também não chamou o árbitro para rever a jogada no monitor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.