Joka Madruga/Futura Press
Joka Madruga/Futura Press

Árbitro diz na súmula que volante do Bahia revidou cusparada de Kleber

Edson também foi expulso no Couto Pereira, aos 26 minutos do segundo tempo

Estadao Conteudo

16 de junho de 2017 | 09h34

Coritiba e Bahia fizeram um duelo de poucos atrativos, raras emoções e sem gols na noite desta quinta-feira. Sem um vencedor, o jogo ganhou mais força no noticiário por causa de cusparada do atacante Kleber no volante Edson no segundo tempo, no Couto Pereira. Os dois jogadores foram expulsos de campo.

Ao fim da partida, o árbitro Wagner Reway justificou o cartão vermelho dado também a Edson. Disse que o jogador revidou a cusparada de Kleber. "Por cuspir em seu adversário de nº 83, alguns instantes após receber uma cusparada", registrou o juiz, citando as duas expulsões aos 26 minutos do segundo tempo.

A expulsão de Edson foi controversa porque as câmeras não flagraram o momento da cusparada. O volante, ao ser atingido por Kleber, colocou as mãos no rosto e se jogou no chão. Já o ato hostil do jogador do Coritiba foi enquadrado pelas câmeras de TV na partida.

Kleber demonstrou nervosismo em campo desde o início da partida. No primeiro tempo, discutiu com outro jogador do Bahia. E, na segunda etapa, teria acertado o rosto de Edson, que também teria revidado. As duas agressões não foram registradas na súmula.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCoritibaBahiaKleber

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.