Árbitro diz que não agrediu Fabiano

O árbitro paranaense Marcos Tadeu Mafra, de 38 anos, disse nesta quarta-feira esperar que o goleiro Fabiano, do América-MG, ?aprenda a lição?. O jogador provavelmente pegará uma pena severa do Superior Tribunal de Justiça Desportiva depois de ter agredido o juiz no jogo de terça-feira, contra Avaí. "Espero que, ao retornar ao futebol, ele pense no que fez e não cometa mais", afirmou Marcos Tadeu Mafra em entrevista à Rádio CBN, em Curitiba. "Não houve danos mais sérios para mim e só peço que não cometa o mesmo erro com outro árbitro", repetiu.Atuando desde 1998 no futebol paranaense, Marcos Tadeu Mafra nunca teve qualquer reclamação apreciada pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Estado. Ele disse que ainda não estava entendendo a atitude do goleiro.Segundo o árbitro, depois da marcação do pênalti, o goleiro foi até ele para ofendê-lo. "Eu falei que, se alguém encostasse a mão em mim, ia tomar o cartão amarelo", justificou Marcos Tadeu Mafra. "De imediato, ele falou e levou o amarelo." O árbitro afirmou que, em momento algum, chegou a agredir o goleiro física ou verbalmente. "É só ver pelas imagens da televisão que falo a verdade", defendeu-se. Segundo Marcos Tadeu Mafra, Fabiano está tentando dividir a culpa para "amenizar a pena", ao afirmar que teria ido reclamar "educadamente" do pênalti e teria sido xingado pelo juiz. "Todo mundo tem o direito de errar. Ele errou. E que sirva de lição", disse.

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 19h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.